Músicos paulistas recebem incentivo financeiro do Governo do Estado de São Paulo

ieda_terra_645

Projetos musicais de artistas da capital, Bauru, Campinas, Cotia, Sorocaba, Ribeirão Preto e Vale do Paraíba são contemplados no edital de gravação de música com circulação de shows do Programa de Ação Cultural (ProAC) e serão executados em 2017.

 

A variedade de gêneros musicais marcou a seleção dos dez projetos contemplados no edital de música do Programa de Ação Cultural (ProAC), mantido pelo Governo do Estado de São Paulo. As propostas foram escolhidas no concurso de gravação de álbum inédito de canção com apresentação ou circulação de espetáculos. Além deste edital, já foram anunciados os contemplados de 12 dos 44 editais lançados neste ano: teatro (produção, circulação e primeiras obras), dança (produção, circulação e primeiras obras), artes cênicas (produção e circulação voltado ao público infantojuvenil; e circulação para a rua), festivais de artes I e II, além de circo (produção de número circense). Os demais resultados devem ser divulgados até novembro.

 

Do folk rock, passando pelo pop, música caipira, MPB a música infantil, projetos musicais de diferentes regiões do estado foram selecionados neste edital, dividido em dois módulos. No primeiro, foram escolhidos seis projetos que terão foco na circulação de espetáculos. Confira os projetos contemplados:

 

 

Rock e pop caipira

Fundada em Ribeirão Preto, a banda Doutor Jupter é considerada uma autêntica representante da música folk brasileira. Para ficar mais perto da cena alternativa, mudou-se para Mairiporã e, em 2017, o grupo irá celebrar 10 anos de carreira. Nos shows, irá revisitar o seu repertório que conta com as canções do EP de estreia, produzido por Edgard Scandurra, do IRA!, além dos os álbuns “Doutor Jupter”, “Na Varanda” e do single “Serenata”.

 

Banda independente formada por alunos da Unesp, de Bauru, em 1996, Mercado de Peixe chama a atenção ao misturar música pop com elementos da cultura caipira. No trabalho “Água de Faca”, o grupo traz a cumbia digital, africanismos, garage rock e ritmos psicodélicos.

 

 

Do baião ao jazz

A cantora Izabel Padovani e baixista Ronaldo Saggionato, de Campinas, comemoram 16 anos de parceria com o show “Aquelas Coisas Todas”. No espetáculo, pretendem apresentar a riqueza da canção brasileira por meio de um passeio por gêneros como samba, baião e frevo, visitando as obras de compositores consagrados como Guinga, Tom Jobim, Rosa Passos, além de músicos da nova safra como Chico Saraiva e Alegre Corrêa.

 

O Vale do Paraíba emplacou dois projetos. A cantora Ieda Terra irá apresentar o álbum autoral “Libélula”, lançado em 2015, que traz a linguagem pop em diálogo com a música caipira e folclórica em seus arranjos e instrumentação. O instrumentista Victor Mendes, integrante do grupo Trio José, estreará a turnê do novo disco “Nossa Ciranda”, seu primeiro disco solo, caracterizado pela parceria com diversos letristas, músicos e compositores com os quais conviveu. O disto que tem a influência do violão erudito com a MPB e a bossa nova com a livre improvisação e a criação coletiva comuns à música regional, folclórica e do jazz.

 

 

Para as crianças

O grupo Meia Dúzia de 3 ou 4, de Cotia, vai apresentar o espetáculo infantil “Tá na hora de dormir”, idealizado a partir de canções compostas para o livro-disco homônimo, voltado para o público infantil (de 0 a 9 anos). Com repertório que fala sobre o tempo e o espaço, assim como as individualidades de cada um, irá desmitificar os vilões da literatura infantil.

 

 

Novos álbuns

Mais quatro propostas foram premiadas no segundo módulo: além das apresentações, serão produzidos novos álbuns. Confira quais trabalhos contemplados:

 

 

Ritmos populares e homenagens

A banda Filpo Ribeiro e a Feira do Rolo vai trazer releituras de canções de domínio público e de artistas consagrados como Jackson do Pandeiro e Dominguinhos, inspirando-se em ritmos populares como forró, samba de roda, fandango caiçara, lundus, entre outros. O Conjunto João Rubinato, que pesquisa e divulga a vida e obra de Adoniran Barbosa, irá produzir oito canções inéditas deste músico.

 

 

Chorinho e piano

Pianista radicado em Sorocaba, João Leopoldo vai produzir o álbum “Oi, tudo bem?”, com canções inéditas de autoria do músico e com direção musical de Edu Capello. Elementos dramatúrgicos, eletrônicos se mesclam com letras que apostam no onírico e flertam com a desconstrução do código verbal, da poesia e funções metalinguísticas.

 

O grupo Flor de Aguapé, de Ribeirão Preto, vai gravar o primeiro álbum de choro com canções inéditas de compositores do interior de São Paulo. A partir de um forte trabalho de pesquisa o grupo construiu um projeto pautado na delicadeza e minúcia na construção dos arranjos, por meio de formação instrumental de piano, cavaco, pandeiro e voz, fazendo uma seleção criteriosa de repertório buscando a valorização do diálogo entre música e letra.

 

Todos os resultados estão publicados no site da Secretaria da Cultura do Estado (www.cultura.sp.gov.br ).

 

O Programa de Ação Cultural (ProAC), na modalidade editais, tem o objetivo de fomentar e difundir a produção artística em todas as regiões do estado, apoiando financeiramente projetos artísticos. Neste ano, foram disponibilizados 44 editais em 12 linguagens: teatro dança, música, literatura, circo, artes cênicas para crianças, festivais de arte, audiovisual, museus, diversidade sexual e étnica e artes visuais.

=================

 

Para conhecer a programação cultural de todo o estado, acesse a plataforma SP Estado da Cultura – www.estadodacultura.sp.gov.br

    Author: Claudio Ribeiro

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *