Mostra na Cinemateca de Curitiba presta homenagem aos 80 anos de Sylvio Back

Sylvio Back

A Cinemateca apresenta a partir desta terça-feira (3) a Mostra Sylvio Back 8.0 – Filmes Noutra Margem, realizada em parceria com a Universidade Federal do Paraná e Unespar para celebrar os 80 anos de um dos mais importantes diretores do cinema paranaense e nacional. Uma seleção de 12 filmes representativos de sua carreira ocupará durante duas semanas as salas da Cinemateca e do Cine Guarani (Portão Cultural). A abertura oficial acontece às 18h30, com a presença do cineasta.

A mostra foi elaborada com a colaboração da pesquisadora Rosane Kaminski, do Departamento de História da UFPR, autora da tese de doutorado “Poética da angústia: história e ficção no cinema de Sylvio Back, 1960-70”. Em 2018, ela lançará o livro “A formação de um cineasta: Sylvio Back na cena cultural de Curitiba nos anos 1960”, pela Editora da UFPR.

De acordo com a pesquisadora, a trajetória cinematográfica de Back é marcada pela constante participação em questões políticas, estéticas e sociais. Seus filmes apresentam uma postura crítica, questionadora e provocativa. “Hoje, num contexto de crise e desilusões política, vale a pena assistir aos filmes de Back e tentar pensar com a própria cabeça, ao invés de esperar respostas para os nossos problemas, muitos dos quais cristalizados em valores que negamos revisitar. Seus filmes não apontam soluções, mas levantam questões”, afirma Rosane.

Na quarta-feira (4), às 19h, no Anfiteatro do Edifício D. Pedro I – Reitoria da UFPR, haverá uma mesa-redonda com a participação de Sylvio Back, da pesquisadora Rosane Kaminski e do também cineasta Fernando Severo. Os filmes serão exibidos na Cinemateca de 3 a 8 de outubro e serão reprisados no Cine Guarani de 10 a 15 de outubro. A entrada é franca.

 

Programação:

 

3 de outubro – Cinemateca

10 de outubro – Cine Guarani

 

17h – LANCE MAIOR (1968, 100′)

Com: Reginaldo Faria, Regina Duarte e Irene Stefania

Lance MaiorHistória de jovens que buscam os ideais perdidos e um lugar ao sol. Eles representam a inquieta juventude do final da década de 1960. O bancário Mário é um desses jovens e se vê dividido entre o amor de duas mulheres.

 

18h30 – Abertura oficial com a presença de Sylvio Back

 

19h – A GUERRA DOS PELADOS (1971, 98′)

Com: Jofre Soares, Stenio Garcia, Atila Iorio

O filme é baseado no episódio histórico da Guerra do Contestado (1912-1916) quando, em 1913, em Santa Catarina, houve um conflito envolvendo cessão de terras a uma companhia estrangeira. Os expropriados foram chamados de “pelados”, pois rasparam a cabeça e se entricheiraram num reduto messiânico, lembrando Canudos.

 

4 de outubro – Cinemateca

11 de outubro – Cine Guarani

 

17h – ALELUIA GRETCHEN (1976, 118′)

Com: Carlos Vereza, Míriam Pires, Lilian Lemmertz

Aleluia, gretchenA saga de uma família de imigrantes alemães que, fugindo do nazismo, vem se radicar numa cidade do Sul do Brasil, por volta de 1937. Às vésperas e durante a II Guerra Mundial, membros da família se envolvem com a Quinta Coluna (espionagem nazista no Brasil) e o Integralismo. Na década de cinqüenta, graças a ligações perigosas com o rescaldo da guerra, os Kranz são visitados por ex-oficiais da SS em trânsito para o Cone Sul.

 

19h30 – REVOLUÇÃO DE 30 (1980, 118′)

Revolução de 30 é um filme-colagem de uma trintena de documentários e filmes de ficção dos anos 20, culminando em cenas inéditas da Revolução de 1930. Todo em preto e branco, o principal tônus é a excelência da restauração fotográfica de suas imagens, emoldurada por uma trilha sonora autêntica, de rara beleza e qualidade de emissão. Com comentários dos historiadores Bóris Fausto, Edgar Carone e Paulo Sérgio Pinheiro.

 

5 de outubro – Cinemateca

12 de outubro – Cine Guarani

 

17h – REPÚBLICA GUARANI (1982, 100′)

Através de imagens de arquivos e depoimentos de célebres historiadores das mais diversas nacionalidades e linhas de pesquisa, Sylvio Back remonta os passos das missões jesuíticas que aportaram no Brasil e na América do Sul no século 17 para compreender as formações e os costumes das antigas comunidades indígenas nativas que foram dizimadas pelo homem branco.

 

19h – GUERRA DO BRASIL (1987, 104′)

Entre 1864 e 1870, a América do Sul é palco do maior e mais sangrento conflito armado do século, conhecido como a “Guerra do Paraguai”, ou “Guerra Grande”, para os paraguaios. Misturando realidade e ficção, o documentário debate este “ensaio” da I Guerra Mundial, que envolveu Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai, vitimando em torno de um milhão de pessoas. No filme entrelaçam-se a história oficial, o imaginário popular e a crítica de militares, cronistas e historiadores.

 

6 de outubro – Cinemateca

13 de outubro – Cine Guarani

 

17h – RÁDIO AURIVERDE (1991, 70′)

O documentário Rádio Auriverde discute a participação brasileira na Segunda Guerra Mundial, através da Força Expedicionária Brasileira (FEB). Com imagens e sons inéditos de Carmen Miranda e do Brasil da época, o filme penetra no desconhecido universo da guerra psicológica que conturbou a presença da FEB na Itália (1944-45). Através das musicalmente alegres e debochadas transmissões de uma rádio clandestina, tema-tabu entre os pracinhas, o filme acaba também revelando as tragicômicas relações entre os Estados Unidos e o Brasil durante o conflito.

 

19h – YNDIO DO BRASIL (1995, 70′)

Colagem de dezenas de filmes nacionais e estrangeiros de ficção, cinejornais e documentários, revelando como o cinema vê e ouve o índio brasileiro desde quando foi filmado pela primeira vez, em 1912. São imagens surpreendentes, emolduradas por musicas temáticas e poemas, que transportam o espectador a um universo idílico e preconceituoso, religioso e militarizado, cruel e mágico, do índio brasileiro.

 

7 de outubro – Cinemateca

14 de outubro – Cine Guarani

 

17h – CRUZ E SOUZA – O POETA DO DESTERRO (1999, 86′)

Com: Kadu Carneiro, Maria Ceiça, Danielle Ornelas

Filho de escravos, João da Cruz e Sousa (1861-1898) recebe educação europeia e se torna poeta. Mas o reconhecimento de sua obra vem somente após sua morte. Cruz e Sousa – O Poeta do Desterro trata da reinvenção da vida, obra e morte do poeta catarinense, fundador do Simbolismo no Brasil e considerado o maior poeta negro da língua portuguesa. Através de 34 “estrofes visuais”, o filme de Sylvio Back rastreia desde as arrebatadoras paixões do poeta em Florianópolis até seu emparedamento social, racial, intelectual e trágico no Rio de Janeiro.

 

19h – LOST ZWEIG (2003, 114′)

Com: Rüdiger Vogler, Ruth Rieser, Renato Borghi, Daniel Dantas.

Última semana de vida do austríaco Stefan Zweig, autor do livro Brasil, País do Futuro, e de sua jovem mulher Lotte que, em um pacto cercado de mistério, se suicidam após o carnaval de 1942, ao qual haviam assistido. Um gesto que ainda hoje, passados mais de sessenta anos, desperta incógnitas e assombro pela sua premeditação e caráter emblemático.

 

8 de outubro – Cinemateca

15 de outubro – Cine Guarani

 

17h – O CONTESTADO – RESTOS MORTAIS (2010, 156′)

A Guerra do Contestado aconteceu na fronteira entre o Paraná e Santa Catarina, entre 1912 e 1916. Esse documentário investiga suas causas, desenrolar e consequências, com depoimentos de historiadores e também de alguns rebeldes mortos no conflito, incorporados por médiuns.

 

20h – O UNIVERSO GRACILIANO (2013, 84′)

Com: Oscar Niemeyer, Lêdo Ivo, Luiza Amado.

Um panorama da vida e da obra do autor Graciliano Ramos, falecido em 1953, e responsável por grandes livros da literatura brasileira, como São Bernardo, Vidas Secas, Angústia e Memórias do Cárcere. O filme reúne diversos materiais de arquivo com entrevistas de pessoas próximas ao escritor.

 

    Author: Brasil Cultura

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *