Lamartine Babo 10/01/1904

lamartineCarioca, nasceu em uma família amante da música, o que o ajudou a se tornar um dos mais importantes compositores do Brasil. Chegou a compor algumas operetas e peças de teor sacro na juventude, quando trabalhava como office boy e freqüentava as galerias do Teatro Municipal. Nos anos 20 saía com blocos de carnaval, e passou a colaborar com diversos pseudônimos em revistas satíricas e humorísticas, graças à sua capacidade de fazer trocadilhos e piadas. Ingressou no rádio em 1929, fazendo sketches e contando piadas, e no ano seguinte estreou seu próprio programa, Horas Lamartinescas. Na década de 30 compôs as marchinhas de carnaval mais populares até hoje: “O Teu Cabelo Não Nega”, “Linda Morena”, “Cantores do Rádio” (com João de Barro/ A. Ribeiro), “Marcha do Grande Galo”, “A-E-I-O-U” (com Noel Rosa), “Grau Dez” (com Ary Barroso), “Uma Andorinha Não Faz Verão” (com Braguinha), “Canção pra Inglês Ver” (regravada pelas Frenéticas), “Chegou a Hora da Fogueira”, “Hino do Carnaval Brasileiro”, “História do Brasil”, “Isto É Lá com Santo Antônio”, “Noites de Junho”. Sua produção é vastíssima no gênero em que foi mestre, mas Lalá (como era conhecido) também fez obras-primas no samba, como “No Rancho Fundo” (com Ary Barroso), “Lua Cor de Prata”, “Voltei a Cantar”, “A Tua Vida É um Segredo”, “Serra da Boa Esperança”, “Só Dando com uma Pedra Nela”, e até valsas, como “Eu Sonhei que Tu Estavas Tão Linda” (com Francisco Mattoso), regravada pelo roqueiro Erasmo Carlos. Além disso, Lamartine – que tinha uma forma caricata de cantar acompanhando-se num trombone de boca – compôs hinos para os principais times de futebol cariocas: de seu América de coração aos hinos do Flamengo, Fluminense, Botafogo e Vasco.

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *