Ouça “História Hoje” 03/06: Há 115 anos, nascia o romancista José Lins do Rego

joselinsdorego

No dia 3 de junho de 1901, nascia no Engenho Corredor, município de Pilar (PB), José Lins do Rego Cavalcanti, considerado um dos maiores romancistas regionais da literatura brasileira, ao lado de Jorge Amado, Érico Veríssimo, Graciliano Ramos e Rachel de Queiroz.

Apresentação Gláucia Gomes

José Lins do Rego presenciou, na infância, os engenhos de açúcar perderem espaço para as usinas, provocando muitas transformações sociais e econômicas. Mudou-se para João Pessoa, onde fez o curso secundário e depois, para Recife, estudar Direito.

 

Durante o curso, no início da década de 1920, fez contatos com o meio literário pernambucano, tendo amigos como José Américo de Almeida, Osório Borba, Luís Delgado, Aníbal Fernandes e Gilberto Freire.

 

Em 1926, muda para Maceió, onde conhece escritores como Graciliano Ramos, Rachel de Queiroz, Aurélio Buarque de Holanda e Jorge Lima. A vivência de José Lins do Rego com o universo açucareiro lhe deu a oportunidade de relatar suas histórias através dos personagens dos romances, como Menino de Engenho, Doidinho, Banguê, Moleque Ricardo e Usina. Nestes livros, ele descreve a decadência dos engenhos de açúcar do Nordeste.

 

Segundo o crítico Literário Manuel Proença, a obra de José Lins, embora regionalista, não se encaixa somente na denúncia sócio-política, mas mostra sua sensibilidade à flor da pele, na sinceridade diante da vida e na autenticidade.

 

Em 1935, no Rio de Janeiro, José Lins do Rego começa a escrever para os Diários Associados e o Globo, período em que conquista o respeito no meio literário.

 

Os críticos atribuem a ele a invenção do romance moderno brasileiro. Afirmam que sua obra ajudou a construir uma nova forma de escrever permitida a partir do Movimento Modernista de 1922.

 

José Lins do Rego publicou 14 romances, sendo que seis deles foram adaptados para o cinema. Seus livros foram publicados na Alemanha, França, Inglaterra e Espanha.

 

Em 1955, foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras. Dois anos depois morre, aos 56 anos, na cidade do Rio de Janeiro.

 

Quem foi

 

jose-lins-do-rego-José Lins do Rego Cavalcanti nasceu em 1901, no Estado da Paraíba, e morreu em 1957 na cidade do Rio de Janeiro.

 

 

Viveu a maior parte de sua vida em Recife, cidade onde se formou em Direito. A partir de 1936, passou a viver na cidade do Rio de Janeiro.

 

 

O dia a dia e os costumes tanto de Pernambuco quanto do Rio de Janeiro eram evidentes em suas obras literárias.

 

 

Ele deu início ao conhecido Ciclo da Cana-de-Açúcar com a obra: Menino de Engenho. Além deste livro, este notável escritor escreveu outros livros, como: Doidinho, Banguê, O Moleque Ricardo e Usina. Este último possui narrativa descritiva do meio de vida nos engenhos e nas plantações decana-de-açúcar do Nordeste.

 

 

Em sua segunda fase, José Lins do Rego escreveu romances que tinham como tema a vida rural. Deste período, fazem parte as seguintes obras: Pureza, Pedra Bonita, Riacho Doce e Agua Mãe.

 

 

No ano de 1943 publicou o livro Fogo Morto, considerado a sua obra-prima; posteriormente escreveu Euridice, Cangaceiros, alguns ensaios, crônicas e outras obras.

 

 

Este notável escritor foi eleito membro da Academia Brasileira de Letras e teve suas obras traduzidas para diferentes idiomas, entre eles, o russo. Antes de morrer, escreveu um livro de memórias chamado: Meus Verdes Anos.

 

Principais obras de José Lins do Rego

 

– Menino de engenho (1932)

– Doidinho (1933)

– Bangüê (1934)

– O Moleque Ricardo (1935)

– Usina (1936)

– Pureza (1937)

– Pedra bonita (1938)

– Riacho doce (1939)

– Fogo morto (1943)

– Eurídice (1947)

– Cangaceiros (1953)

– Gordos e magros (1942)

– Poesia e vida (1945)

– Homens, seres e coisas (1952)

– A casa e o homem (1954)

– Meus verdes anos (1956)

– O vulcão e a fonte (1958)

– Dias idos e vividos (1981)

itaipu log

História Hoje: Programete sobre fatos históricos relacionados às datas do calendário. Vai ao ar pela Rádio Brasil Cultura de segunda a sexta-feira.

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *