Fundo de Quintal “ Nossa Verdade”

O grupo Fundo de Quintal iniciou sua carreira fonográfica acompanhando Beth Carvalho no disco “Pé no Chão”, de 1978. Madrinha da turma, ela se havia se encantado com o som ouvido na quadra do Cacique de Ramos, berço da última grande geração de sambistas como Almir Guineto, Zeca Pagodinho, Guará, Baiano, Arlindo Cruz, Jorge Aragão, Luiz Carlos da Vila e outros. A sonoridade centrada nas cordas do banjo e na percussão do tantan e do repique de mão, marcas registradas e originais do reduto, moldou o samba moderno e tinha como comissão de frente Bira Presidente, Ubirany e a turma da primeira formação do grupo.

Mas o Fundo sempre foi mais que uma só formação, sempre foi um grupo marcado pelo sentimento familiar, pelo clima agregador que marcou e marca as reuniões da Rua Uranos, sempre permeadas pela alma fraternal, pela lealdade suburbana, essência da carioquice que encanta e toca o coração. Isso talvez explique as tantas mudanças já experimentadas pela turma. Mas o Fundo de Quintal, em suas três décadas de vida, comemoradas a partir da formalização do grupo que já se reunia há tempos nos pagodes caciqueanos, chega a “Nossa verdade”, este CD primoroso, com direito a arranjos dos maestros Rildo Hora e Paulão Sete Cordas mostrando que assim como uma seleção brasileira de futebol, se renova sem perder o brilho. Um craque se consagra, vai para o mundo, e outro craque entra em seu lugar. E a mescla dos fundadores Bira, Ubirany e Sereno com Ademir Batera, Ronaldinho e Flavinho resulta em um trabalho consistente e equilibrado.

Com milhões de discos vendidos em sua brilhante carreira, dezenas deles de ouro e platina, o Fundo é o grupo de samba mais premiado da história (só do antigo Sharp foram sete seguidos), mas há algum tempo não tinha um trabalho tão bem produzido e cuidado à altura de suas tradições. E de tradição a turma de Bira Presidente entende. Letras bem cuidadas, ótimos arranjos, um tratamento acústico respeitoso com a sonoridade característica. Com tudo isso preparado, foi só dar o apito inicial e deixar rolar a bola.

Teatro Rival Petrobras (472 lugares) – Rua: Álvaro Alvim, 33/37 – Cinelândia.  Tel.: 2524-1666. Dias 08 e 09 de julho – Sexta e sábado, às 19h30
Ingressos: Setor A: R$ 60,00(Inteira) R$ 30,00(Meia) | Setor B: R$ 50,00(Inteira) R$ 40,00 (Os 100 Primeiros Pagantes) R$ 25,00(Meia) Classificação: 16 anos. www.rivalpetrobras.com.br

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *