Finalistas Prêmio São Paulo de Literatura

premiosplit210Prêmio São Paulo de Literatura anuncia finalistas 2011 . Menalton Braff, Joca Terron e Adriana Lisboa estão entre os dez finalistas que disputam R$ 200 mil na categoria “Melhor Livro do Ano”, enquanto Bráulio Mantovani, Eduardo Giannetti, Andréa del Fuego e outros sete escritores disputam o prêmio na categoria de estreantes.

 Os 10 finalistas das duas categorias do Prêmio São Paulo de Literatura 2011 foram anunciados no sábado (28.05) durante o IV Festival da Mantiqueira – Diálogos com a Literatura, em São Francisco Xavier (distrito de São José dos Campos, 138 km de SP). A premiação é concedida pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura. Os vencedores nas categorias Melhor Livro do Ano e Melhor Livro do Ano – Autor Estreante, serão conhecidos durante a cerimônia de premiação na segunda-feira (01.08), no Museu da Língua Portuguesa. Cada um leva R$ 200 mil reais.

 

“O prêmio, que celebra os melhores romances publicados no ano, chega à quarta edição e confirma a importância com nomes de peso no cenário literário nacional”, afirma Andrea Matarazzo, Secretário de Estado da Cultura de São Paulo. Os finalistas foram selecionados entre 221 romances, sendo 104 de autores não estreantes e 117 de novatos.

 

Fizeram parte do júri inicial do prêmio especialistas da área. São eles Anna Maria Martins, Cibele Lopresti Costa, Donizete Galvão de Souza, Helena Bonito Couto Pereira, Luiz Avelino de Lima, Luiz Gonzaga Marchezan, Maria Antonia Pavan de Santa Cruz, Maria da Aparecida Saldanha, Mirna Queiroz dos Santos e Rodrigo Vilella. A avaliação final será feita por um segundo grupo de jurados.

 

Veja abaixo a lista completa dos finalistas (em ordem alfabética).

 

Melhor Livro do Ano (de 2010):

 

Adriana Lisboa, Azul-corvo (Rocco)
Carola Saavedra, Paisagem com dromedário (Companhia das Letras)
Evandro Affonso Ferreira, Minha mãe se matou sem dizer adeus (Record)
Joca Reiners Terron, Do fundo do poço se vê a lua (Companhia das Letras)
Miguel Sanches Neto, Chá das cinco com o vampiro (Objetiva)
Menalton Braff, Bolero de Ravel (Global)
Nelson de Oliveira, Poeira: demônios e maldições (Língua Geral)
Ronaldo Wrobel, Traduzindo Hannah (Record)
Rubens Figueiredo, Passageiro do fim do dia (Companhia das Letras)
Sérgio Mudado, Os negócios extraordinários de um certo Juca Peralta (Crisálida)

 

Melhor Livro do Ano – Autor Estreante (de 2010)

 

Andréa del Fuego, Os Malaquias (Língua Geral)
Bráulio Mantovani, [Perácio] – relato psicótico (Leya)
Eduardo Giannetti, A ilusão da alma – biografia de uma ideia fixa (Companhia das Letras
Gabriela Guimarães Gazzinelli, Prosa de papagaio (Record)
Helio Pólvora, Inúteis luas obscenas (Casarão do Verbo)
Luis Alberto Brandão, Manhã do Brasil (Scipione)
Marcelo Cid, Os unicórnios (7Letras)
Marcelo Ferroni, Método prático da guerrilha (Companhia das Letras)
Marco Lucchesi, O dom do crime (Record)
Reni Adriano, Lugar (Tinta Negra)

 

Premiados nas edições anteriores – Em 2010 os vencedores do Prêmio São Paulo de Literatura foram A minha alma é irmã de Deus, de Raimundo Carrero, como melhor livro do ano e Se eu fechar os olhos agora, de Edney Silvestre, como melhor obra de autor estreante. Em 2009 venceram Galiléia, de Ronaldo Correia de Brito e A parede no escuro, de Altair Martins. Na primeira edição, em 2008, os premiados foram O Filho Eterno, de Cristóvão Tezza e A chave de casa, da estreante Tatiana Salem Levy.

 

CONFIRA ABAIXO A SINOPSE DOS LIVROS FINALISTAS (EM ORDEM ALFABÉTICA):

 

(Os textos de Rodrigo Vilella)

 

Finalistas do Prêmio São Paulo de Literatura 2011 

 

Categoria: Melhor Livro do Ano
Autor: Adriana Lisboa
Título: Azul-corvo
Editora: Rocco

 

Vanja nasceu nos Estados Unidos, mas cresceu no Rio de Janeiro. Após a morte da mãe, ela volta à América, em busca do pai. A acompanham na viagem o garoto Carlos e Fernando, ex-guerilheiro do Araguaia. Por meio das lembranças de Fernando, Vanja participa da história recente do Brasil, enquanto tenta recuperar seu percurso. Em paisagens distintas, histórias repletas de lugares diferentes se entrelaçam e caminhos se cruzam mesmo que inesperadamente. Adriana Lisboa nasceu no Rio de Janeiro, em 1970. Publicou vários livros, entre romances, contos, infantis e juvenis. Recebeu o Prêmio José Saramago por Sinfonia em branco (Rocco). Tem livros traduzidos em sete países e este é seu quinto romance.

 

Autor: Carola Saavedra
Título: Paisagem com dromedário
Editora: Companhia das Letras

 

Numa ilha vulcânica Érika registra uma sequência de gravações endereçadas a Alex, seu parceiro. Hospedada na casa de amigos ela narra o dia a dia e os acontecimentos recentes, suas impressões, revelações e questionamentos. Por meio de fragmentos de fala, entrecortados por marcações da situação, delineia-se a vida do casal e de uma terceira personagem, com quem formam um triângulo amoroso. Carola Saavedra nasceu em Santiago do Chile, em 1973, e veio para o Brasil com três anos. Publicou Do lado de fora (7Letras), Toda terça e Flores azuis (ambos pela Companhia das Letras), sendo o último vencedor do APCA de melhor romance e finalista dos prêmios Jabuti e São Paulo de Literatura.

 

Autor: Evandro Affonso Ferreira
Título: Minha mãe se matou sem dizer adeus
Editora: Record

 

Sentado à mesa de uma confeitaria num shopping, o narrador, um escritor à beira dos 80 anos, vê a vida passar e espera seu fim, enquanto relembra acontecimentos de sua infância, como o suicídio da mãe, uma artista fracassada, bêbada e louca, com quem mantinha um forte laço. O velho conversa telepaticamente com outros frequentadores do shopping e justifica sua existência melancólica escrevendo sem parar um livro que talvez nunca seja publicado e que luta para terminar. Minha mãe se matou sem dizer adeus é o primeiro volume de uma trilogia do autor. Evandro Affonso Ferreira nasceu em Araxá, em 1945. É autor de Grogotó! (Topbooks), Araã! (Hedra), Erefuê, Zaratempô! e Catrâmbias! (Editora 34).

 

Autor: Joca Reiners Terron
Título: Do fundo do poço se vê a lua
Editora: Companhia das Letras

 

Cairo e São Paulo, ditadura, assassinato, feminino e masculino, troca de sexo e perda da memória fazem parte da história dos irmãos Wilson e William. Distante do irmão gêmeo há vinte anos, William vai à capital do Egito em sua busca. Wilson luta para livrar-se da imagem espelhada do irmão e se transformar na figura de sua obsessão, Cleópatra. Em meio a desencontros e reviravoltas, a afirmação dos opostos parece marcar uma maldição que os ameaça desde o nascimento. Joca Reiners Terron nasceu em Cuiabá, em 1968. É autor de Não há nada lá (Ciência do Acidente), Hotel Hell (Livros do Mal) e Curva do rio sujo (Planeta), entre outros. Com Do fundo do poço se vê a lua ganhou o prêmio Machado de Assis.

 

Autor: Miguel Sanches Neto
Título: Chá das cinco com o vampiro
Editora: Objetiva

 

Para deixar para trás as brigas com o pai alcoólatra e com a mãe superprotetora, Beto ouve os conselhos de sua tia e se muda para Curitiba. Na capital, ele se torna jornalista e se aproxima de um renomado escritor excêntrico. A amizade dos dois, porém, chega ao fim e a vida de Beto muda novamente. Passado o tempo, entre esperanças, frustrações, mentiras e o êxito como escritor, o encontro com o passado e com seus familiares o faz encarar a morte e encontrar sentido onde não esperava. Miguel Sanches Neto nasceu em Bela Vista do Paraíso (PR). Doutor em Letras pela Unicamp, é autor de Chove na minha infância (Record) e Venho de um país obscuro e outros poemas (Bertrand Brasil), entre vários outros títulos.

 

Autor: Menalton Braff
Título: Bolero de Ravel
Editora: Global

 

Após a morte de seus pais, Laura e Adriano passam a se desentender. Ela por focar em questões práticas, ele por não conseguir ver sentido na vida e estar preso às recordações do passado e reconstruções, muitas vezes imaginativas, de diversas cenas familiares. Com o tempo, a deterioração física e mental atormenta Adriano, que tem progressivas dificuldades em lidar com o encaminhamento de sua vida. Menalton Braff nasceu em Taquara (RS), em 1948. É autor de vários títulos, entre romances, contos, infantis e novelas juvenis. Com A sombra do cipreste (Palavra Mágica) ganhou o prêmio Jabuti e com A muralha de Adriano (Bertrand Brasil) foi finalista de alguns prêmios, entre eles o São Paulo de Literatura.

 

Autor: Nelson de Oliveira
Título: Poeira: demônios e maldições
Editora: Língua Geral

 

Em uma cidade não nomeada, a publicação dos livros foi proibida. Porém, aos poucos, novas obras começam a aparecer numa biblioteca e depois em todo o planeta. Junto com o surgimento dos livros clandestinos, cada vez mais numerosos, pessoas desaparecem. Os sequestrados são obrigados a trabalhar para demônios fazedores de livros em uma gráfica, no centro da Terra. Afinal, o que é um livro? De onde vem? Para que serve? Nelson de Oliveira nasceu em Guaíra (SP), em 1966. Escritor e doutor em Letras pela USP, publicou vários livros, entre infantis, contos e romances. Com Poeira: demônios e maldições foi o vencedor nacional do prêmio Casa de las Américas.

 

Autor: Ronaldo Wrobel
Título: Traduzindo Hannah
Editora: Record

 

Em plena Era Vargas, no Rio de Janeiro da década de 1930, um pacato sapateiro judeu fugido da Polônia é convocado a aderir a uma secreta missão patriótica em combate à “subversão comunista”. Por ser fluente em iídiche, o sapateiro Max é obrigado a trabalhar como censor postal, procurando mensagens cifradas na correspondência trocada por seus patrícios.  A partir daí, Max passa a fazer parte de uma grande rede, que lhe traz novos dilemas e novas descobertas, tanto da história recente do Brasil como de si. Ronaldo Wrobel nasceu no Rio de Janeiro, em 1968. Publicou Propósitos do acaso (Nova Fronteira) e A raiz quadrada e outras histórias (Bomtexto).

 

Autor: Rubens Figueiredo
Título: Passageiro do fim do dia
Editora: Companhia das Letras

 

Pedro embarca numa longa jornada de ônibus pelas ruas congestionadas de uma cidade grande, saindo do centro em destino a um bairro periférico. Em meio a um infindável congestionamento, ele observa distraído o que se passa dentro e fora do ônibus, enquanto ouve seu radinho e lê um livro. Será que o ônibus chegará ao seu destino? Nessa viagem, passado e futuro passam pela cabeça de Pedro, que vê nos passageiros muitos reflexos de si, apesar dele tentar abstrair-se do entorno.

Rubens Figueiredo nasceu em 1956, no Rio de Janeiro. Cronista e romancista, é autor de As palavras secretas, Barco a seco, ambos prêmio Jabuti, Contos de Pedro e O livro dos lobos (Companhia das Letras), entre outros.

 

Autor: Sérgio Mudado
Título: Os negócios extraordinários de um certo Juca Peralta
Editora: Crisálida

 

Em 1939, às vésperas do início da Segunda Guerra Mundial, Juca Peralta é incumbido de vender um novíssimo modelo de rádio no sertão mineiro. De saída, Juca propõe uma parceria ao leitor, condição para o início da jornada. Feito o pacto, a realidade mágica do romance aparece em todas as peripécias do caixeiro-viajante e nas idas e vindas da narrativa, que surpreendem a cada novo negócio extraordinário. Em meio a doutores, panacéias e doenças, muitos personagens, entre eles vários ilustres, acompanham o vendedor nesta jornada. Sérgio Mudado nasceu em Belo Horizonte, em 1950. Publicou O quarto selo (Oficina de Livros), Uma vez ontem (Edição do autor) e Vassalu: a saga de um cavaleiro medieval (Altana).

 

Categoria: Melhor Livro – Autor Estreante

Autor: Andréa del Fuego
Título: Os Malaquias
Editora: Língua Geral

 

Num lugar chamado Serra Morena, que se mostra cada vez mais enigmático, três irmãos perdem seus pais inesperadamente. Durante uma tempestade, a família Malaquias está deitada, dormindo, quando um raio cai sobre a casa e fulmina o casal. Ao contrário dos pais, os três filhos estão juntos numa mesma cama em outro quarto e ficam ilesos. A partir daí, cada criança tem seu destino arranjado por Geraldo Passos, dono da Fazenda Rio

Claro, na mesma serra. Entre bençãos e maldições, cada um segue seu trajeto, sempre espreitados pelo que os espera. Andréa del Fuego nasceu em 1975, em São Paulo. É autora da trilogia de contos Minto enquanto posso, Nego tudo e Engano seu (O Nome da Rosa), além de juvenis e outros de contos.

 

Autor: Bráulio Mantovani
Título: [Perácio] – relato psicótico
Editora: Leya

 

Na primeira parte do livro, o autor é o protagonista e estabelece diálogos com seu editor, entre outros interlocutores. O assunto é a visita que fez a um manicômio, para registrar gravações de militares que atuaram na ditadura. Na segunda parte, o tema é o relato delirante de CFD, um interno que fala à Mantovani em nome de outro, Perácio, indivíduo que há muito deixou de falar. Por meio da transcrição de fitas e de comentários, esta narrativa alia sonho e realidade, e deixa a pergunta: o que leva alguém a enlouquecer? Bráulio Mantovani nasceu em 1963, em São Paulo. É autor de vários roteiros de cinema, entre eles, Cidade de Deus, Última parada: 174, Linha de passe, O ano em que meus pais saíram de férias, entre outros.

 

Autor: Eduardo Giannetti
Título: A ilusão da alma – biografia de uma ideia fixa
Editora: Companhia das Letras

 

Após a retirada de um tumor cerebral que o deixa parcialmente surdo, um jovem professor de literatura, especialista em Machado de Assis, isola-se do mundo e passa a viver entre livros, absorvido por uma paixão intelectual: o estudo da relação entre o cérebro e a mente.

Do embate entre Sócrates e Demócrito no Iluminismo grego do século V a.C. aos achados e espantos da neurociência, a trama descreve a viagem de descoberta do narrador pela história das ideias. Eduardo Giannetti nasceu em Belo Horizonte, em 1957. É autor de Vícios privados, benefícios públicos; Auto-engano; Felicidade; O valor do amanhã (Companhia das Letras); entre outros.

 

Autor: Gabriela Guimarães Gazzinelli
Título: Prosa de papagaio
Editora: Record

 

A história de uma família é contada por seu papagaio, Louro. Por meio de pequenos episódios da vida comum o papagaio colore seus relatos com ideias filosóficas, literárias e visões peculiares. A visão de pássaro revela, aos poucos, fragilidades e anseios das diferentes personagens. O louro procura compreender os que o cercam, pontuando suas observações com erudição, requinte e certa melancolia. A ave passa a vida observando atentamente tudo o que acontece à sua volta e elabora um sarcástico retrato da condição humana. Gabriela Guimarães Gazzinelli nasceu em 1982, em Belo Horizonte. É autora de Fragmentos órficos (UFMG) e A vida cética de Pirro (Loyola). Com este livro ganhou o prêmio SESC de Literatura.

 

Autor: Helio Pólvora
Título: Inúteis luas obscenas
Editora: Casarão do Verbo

 

Com diferentes vozes narrativas, os protagonistas deste livro traçam suas trajetórias: Surdo é excluído em diversas situações, apesar de desejar participar da vida das pessoas que o circundam; Regina não consegue se conter e deixa escapar seus sentimentos com intensidade desmedida; Celina precisa conviver com sua inimiga. Através de fragmentos de diferentes situações monta-se um painel sobre os desejos e a comunicação, às vezes tão difícil. Helio Pólvora nasceu em Itabuna (BA), em 1928. É autor de Rei dos surubins (Imago) e Memorial de outono (Bertrand Brasil), entre outros. Estreou na literatura com o livro de contos Os galos da aurora (Civilização Brasileira), em 1958.

 

Autor: Luis Alberto Brandão
Título: Manhã do Brasil
Editora: Scipione

 

Num amanhecer, dois jovens, o moreno e a morena, encontram-se na escada do sobrado onde moram, no subúrbio. O narrador desse encontro, também anônimo, aos poucos se revela, apresentando com ele a imagem de um Brasil em que o desejo de existência plena tenta superar o cotidiano sem perspectivas. Este “romance em 75 quadros” também pode ser lido como poema em prosa, repleto de dúvidas e sonhos, que preenchem de sutilezas o cotidiano entrecortado, que por meio de pensamentos e fragmentos forma uma narrativa maior. Luis Alberto Brandão nasceu em Cataguases (MG), em 1961. É autor de Chuva de letras (Scipione), Tablado de livros (7Letras) e Saber de pedra: o livro das estátuas (Autêntica), entre outros.

 

Autor: Marcelo Cid
Título: Os unicórnios
Editora: 7Letras

 

O professor de literatura francesa Artur Borges perde os dois mil seiscentos e trinta e quatro livros da sua biblioteca quando um incêndio toma seu apartamento. Os dois unicórnios que encimavam sua estante são os únicos sobreviventes. O fogo queima não apenas os livros, mas capítulos da vida do bibliófilo Artur. Marcado profundamente pelo acidente, tem que refazer a sua coleção. Para tanto, monta uma insólita Biblioteca de Livros Furtados, por meio de mirabolantes estratégias. Como um gatuno refinado, este narrador-personagem tem um código de ética: escolher apenas obras-fetiche para subtrair das estantes alheias. Marcelo Cid nasceu em 1976. Os unicórnios é seu livro de estreia.

 

Autor: Marcelo Ferroni
Título: Método prático da guerrilha
Editora: Companhia das Letras

 

A saga do guerrilheiro argentino é recontada por um biógrafo sem nome, que tem em mãos material inédito sobre o único brasileiro que participou da empreitada de Guevara. Em 2004 o Departamento de Estado dos EUA libera um vasto material, com a transcrição de um interrogatório. A partir de diários, biografias e depoimentos, o narrador traz à tona os fatos trágicos daquela guerrilha, desde a concepção até seus momentos finais. Mas desde o início a empreitada é ameaçada pela inexperiência de todos, somada aos equívocos e às crescentes dificuldades de comunicação. Marcelo Ferroni nasceu em 1974, em São Paulo. É editor da Alfaguara, selo da editora Objetiva.

 

Autor: Marco Lucchesi
Título: O dom do crime
Editora: Record

 

Ao final da década de 1860, Machado de Assis prepara a edição do jornal Diário do Rio de Janeiro. A morte de uma mulher e o respectivo julgamento mobilizam a cidade – mais um crime passional na capital. O marido, Doutor José Mariano da Silva, tomado pela certeza, que não pode ser comprovada, de estar sendo traído, age movido pelo ciúme. O crime teria inspirado Machado de Assis a escrever Dom Casmurro, e então as duas histórias se entrelaçam. Em um misto de ficção e história, a narrativa disseca os eventos ligados ao crime. Marco Lucchesi nasceu no Rio de Janeiro, em 1963. Publicou o livro de poesias Bizâncio (Record) e Ficções de um gabinete ocidental (Civilização Brasileira), entre vários outros títulos.

 

Autor: Reni Adriano
Título: Lugar
Editora: Tinta Negra

 

Com várias histórias que se sobrepõe e inúmeras referências ao imaginário mítico-popular brasileiro, apresenta quatro gerações de uma mesma família que convive com a recusa à memória, num embate diário, procurando incessantemente por afeto. Uma trama carregada de perversidade, em meio a situações de inusitada gentileza. Um retrato duro e ao mesmo tempo poético de um país dilacerado por suas diferenças. Reni Adriano nasceu em Santa Luzia (MG), em 1981. Trabalha em São Paulo com programas de incentivo à leitura. Lugar foi contemplado com os prêmios Governo de Minas Gerais de Literatura e Machado de Assis (3º lugar). 

    Author: Redação

    Share This Post On

    1 comentário

    1. Ya1qSF I cannot thank you enough for the blog post.Much thanks again. Great.

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *