Festival de Inverno de Campos de Jordão

cartaz-festival-de-inverno-2011Além de Campos do Jordão e São Paulo, as cidades de Jundiaí, Piracicaba, Santo André e Santos recebem o Festival, que tem “Contrastes” como tema. Entre as atrações internacionais estão Orquestra do Porto (Portugal), Zukerman Chamber Players, Mozart Piano Quartet, Arditti Quartet, além do quinteto norte-americano Imani Winds, que vem ao Brasil pela primeira vez

De 1º a 24 de julho de 2011 acontece a 42ª edição do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão “Dr. Luís Arrobas Martins”. Com 55 concertos de alto nível artístico, programa pedagógico conduzido por alguns dos maiores nomes do cenário musical global e atividades de inclusão social por meio da música em sua cidade sede, o Festival de Campos do Jordão se converteu no mais importante evento de música clássica da América Latina.  O evento é realizado pelo Governo de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado da Cultura. A Direção Artístico-pedagógica é da EMESP Tom Jobim (Escola de Música do Estado de São Paulo).

Com o tema “Contrastes”, o Festival avança sobre sua proposta lançada em 2010 (“A música e seus diálogos”), mostrando este ano as contraposições entre diferentes estilos musicais de uma mesma época ou diferentes fases musicais de um mesmo compositor. O contraste social também é preocupação da gestão do Festival. Formação de plateia, com concertos gratuitos ou a preços populares, inclusive para o público que não vai a Campos do Jordão, e atividades de inclusão social ganham ainda mais espaço nesta edição do evento.

A abertura solene do Festival ocorre no dia 2 de julho, sábado, às 21 horas, no Auditório Claudio Santoro, em Campos do Jordão, com o tradicional concerto da Osesp. Este concerto tem dupla participação do conceituado maestro, violista e violinista israelense Pinchas Zukerman, que rege a orquestra e também é solista em noite de repertório dedicado a Beethoven (Abertura de “As criaturas de Prometeu”, op. 43, Sinfonia n. 1, op. 21, em dó maior, e Concerto para violino e orquestra, op. 61, em ré maior).

Antes da abertura, o Festival já realiza algumas apresentações. Ainda em São Paulo, um concerto de música antiga oferece ao público uma pré-estreia do evento, na noite do dia 1º de julho e, no sábado ao meio-dia, o patrocinador do evento oferece uma apresentação do Coral de alunos da Fundação Bradesco para inaugurar a Concha Acústica do Festival, na Praça do Capivari, para a temporada de inverno 2011.

Em Campos do Jordão, os concertos ocorrem no Auditório Claudio Santoro, na capela do Palácio Boa Vista, na Praça do Capivari e nas igrejas São Benedito, Matriz Santa Terezinha e Nossa Senhora da Saúde. A cidade serrana abriga 45 concertos no período do evento.

A capital paulista, como em 2010, também recebe parte da programação.  Serão seis concertos em São Paulo, quatro no Grande Auditório do MASP, um na Igreja São Luiz Gonzaga (Av. Paulista) e o último na Sala São Paulo, onde ocorre o encerramento oficial do evento com a apresentação da Orquestra do Festival, no dia 24 de julho, às 17 horas. Formada pelo corpo de bolsistas que participam de intensa programação pedagógica do Festival, a orquestra toca sob regência do maestro e violinista Cláudio Cruz e com solo do pianista José Feghali no Concerto “Imperador”, de Beethoven. O programa inclui obras dos brasileiros Heitor Villa-Lobos e de Almeida Prado, compositor homenageado por sua participação e dedicação em diversas atividades do Festival, até a edição de 2010, pouco antes de falecer.

Antes, porém, do concerto de encerramento, o Festival inova em seu formato, promovendo diversas apresentações da orquestra dos bolsistas, em uma semana de itinerância pelo Estado de São Paulo: o grupo se apresenta em Piracicaba (dia 19), Jundiaí (dia 20), Santos (dia 22) e Santo André (dia 23). “Os jovens músicos terão a oportunidade de vivenciar a experiência única de viajar com o grupo em turnê, como acontece com as formações profissionais e em grupos jovens de alguns dos mais importantes festivais do mundo”, explica o Secretário de Estado da Cultura, Andrea Matarazzo.

“Além de promover uma experiência de formação pessoal e artística ainda mais completa para nossos bolsistas, vamos levar o Festival a um público mais diverso no Estado de São Paulo, com a possibilidade de mostrar um repertório muito bem preparado e assim contribuir também para a formação de plateia”, acrescenta Irmã Rosane Ghedin, Diretora-Presidente da Santa Marcelina Cultura, Organização responsável pela EMESP Tom Jobim, à frente da produção do evento.

Ainda mais entrelaçado com a programação, o programa pedagógico tem destaque na proposta artística do Festival: artistas que vão a Campos na qualidade de músicos residentes, alguns dos quais estão entre os melhores do mundo, apresentam grandes programas, cheios de contrastes, nos concertos de câmara do Festival, muitas vezes ao lado dos próprios bolsistas, que depois formam a Orquestra do Festival. Além disso, praticamente todos os artistas convidados ministram master classes, oficinas ou palestras para os bolsistas, com livre acesso a ouvintes.

Artistas, bolsistas e equipe de produção do Festival também se envolvem com os contrastes sociais de Campos do Jordão, realizando ações ligadas às metas de responsabilidade social do evento. Atividades de ensino musical, acompanhamento social, oficinas para artistas locais e apresentações em asilos e outras instituições estão na agenda. Outra proposta de responsabilidade social é a formação de plateia, que tem nos concertos gratuitos, ingressos promocionais e itinerância do Festival suas realizações centrais.

Entre os destaques da programação artística, vale destacar as orquestras, conduzidas por prestigiados regentes e acompanhadas por conceituados solistas de renome internacional, como a Osesp, que realiza o concerto de abertura com regência e solo de Pinchas Zukerman; a Petrobras Sinfônica, que se apresenta com o maestro Isaac Karabtchevsky e tem Antonio Meneses no solo do Concerto para violoncelo e orquestra de Dvorák; e a Filarmônica de Minas Gerais, regida por Fábio Mechetti, com a participação da soprano Adriane Queiroz em apresentação de aberturas e árias de três óperas de Mozart.

Já entre as atrações internacionais, o Festival traz pela primeira vez ao país oImani Winds Quintet, conjunto de sopros que mistura jazz, blues e erudito; o quinteto de cordas com piano Zukerman Chamber Players, liderado por Pinchas Zukerman; e o conjunto de cordas Arditti Quartet, que estreou no Festival no ano passado.

Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão “Dr. Luís Arrobas Martins”
Data de realização: 1º a 24 de julho de 2011
55 concertos: 45 concertos em Campos do Jordão, 6 concertos em São Paulo, 4 apresentações da itinerância da Orquestra do Festival

Bilheteria

A venda de ingressos do Auditório Claudio Santoro, da Capela do Palácio Boa Vista e da Sala São Paulo será feita pela Ingresso Rápido (www.ingressorapido.com.br) em todos seus pontos credenciados, incluindo a Loja do Capivari, em Campos do Jordão. A venda de ingressos dos concertos no Grande Auditório do MASP serão feitas na bilheteria do Museu a partir do dia 1º de julho.

Valores dos ingressos: R$ 20 a R$ 60 (Sala São Paulo), R$ 30 (MASP); R$ 30 a R$ 100 (Campos do Jordão).
Atrações gratuitas: 29.

Todas as apresentações na Praça do Capivari e nas Igrejas têm entrada franca, além dos concertos no Auditório Claudio Santoro às segundas-feiras e no primeiro domingo do Festival (3 de julho).

Veja a programação completa no site do festival: www.festivalcamposdojordao.org.br

    Author: Redação

    Share This Post On

    1 comentário

    1. MRiEb7 Thanks-a-mundo for the blog.Really looking forward to read more. Awesome.

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *