Festival Brasileiro de Trombonistas

O Conservatório Dramático e Musical de Tatuí, instituição do Governo do Estado de São Paulo e Secretaria da Cultura, vai virar palco do XVIII Festival Brasileiro de Trombonistas e do IV Encontro Internacional de Metais. O trombonista Raul de Souza será uma das principais atrações do evento. O instrumentista faz uma apresentação especial como solista da Big Band do Conservatório de Tatuí na abertura do encontro, que acontece simultaneamente ao encerramento do Festival de Trombonistas. A apresentação acontece no dia 07 de junho, às 20h30 , no Teatro Procópio Ferreira. Os ingressos custam R$10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada).

O Encontro Internacional de Metais é um evento bienal, que integra a série de encontros internacionais do Conservatório de Tatuí. Reúne atividades pedagógicas e artísticas envolvendo os instrumentos trompete, trombone, trompa, tuba e eufônio (bombardino), que integram a família dos metais. Qualquer interessado pode participar das atividades pedagógicas oferecidas – sendo, ou não, aluno do Conservatório de Tatuí – desde que devidamente inscritos, no período divulgado pela instituição. As aulas serão ministradas por especialistas de destaque no meio artístico e acadêmico nacional e internacional. Os concertos e recitais serão abertos ao público.

Os interessados poderão se inscrever pela internet, através do site www.conservatoriodetatui.org.br/emetais, pelo correio ou pessoalmente, no Centro de Produções do Conservatório de Tatuí. A taxa de inscrição é de R$ 30 – sem restrições ao nível técnico ou conhecimento musical – e dará ao aluno acesso a workshops, palestras, masterclasses e concertos durante o período de 7 a 10 de junho. O regulamento e a ficha de inscrição estão disponíveis site.

Além de Raul de Souza, estão confirmados os artistas: Marc Ryan Reese (trompete), Albert Khattar (tuba), Jorge Salgueiro (compositor), Will Sanders (trompa), Jacques Mauger (trombone), Rafael Mender (Eufônio), Enrique Scheneebeli (trombone baixo), Fernando Dissenha (trompete) e Marcelo Bambam (trombone). Além do concerto da Big Band com Raul de Souza, o programa de apresentações ainda prevê recital com o Grupo de Metais do Conservatório de Tatuí, Quinteto Metal Nobre e o encerramento com a Orquestra de Metais “Lyra Tatuí”, com regência de Adalto Soares e Silvia Zambonini.

O Encontro Internacional de Metais tem uma característica particular: não envolve apenas música no conteúdo pedagógico. Desde a primeira edição, o coordenador do evento, Marcelo de Jesus da Silva, alerta sobre a necessidade de os músicos, estudantes e profissionais, ficarem atentos quanto à legislação brasileira e aos cuidados com a saúde, a mente e ao relacionamento social. Assim, o evento contará com a palestra “Noções Essenciais dos Direitos Aplicados aos Músicos: Trabalhista e Previdenciário”, com o advogado Ezequiel de S. Sanches.

Outra atividade diferenciada do 4º Encontro de Metais é a palestra “Aprendendo a lidar com o estresse pessoal e profissional”, com a doutora Raquel Mendes. “É uma parte mais profunda no lado social do músico. Sempre nos preocupamos com estudo, sucesso na carreira, e quando não conseguimos o sucesso imaginado, temos consequências na nossa vida pessoal”, afirmou o coordenador do Encontro de Metais.

Festival Brasileiro de Trombonistas
Com organização da ABT (Associação Brasileira de Trombonistas), em parceria com o Conservatório de Tatuí, o XVIII Festival Brasileiro acontece de 3 a 7 de junho. Estão programados masterclasses, workshops, recitais, concertos e duas atividades inéditas na história da ABT: o 1º Concurso Jovens Solistas e o 1º Simpósio Científico. Além das aulas, o evento terá sete classes limitadas a pequenos grupos de participantes, com temáticas diferentes. Alguns dos temas já confirmados são prática de orquestra, solista, música de câmara, técnicas gerais e improvisação.

A programação artística do festival conta os grupos Brasilidade Geral (da Faculdade de Música do Espírito Santos), Trombonistas, Banda Urbana, Regente Feijó Brass Band e Big Band do Conservatório de Tatuí. Os convidados confirmados até o momento são: Antonio Henrique Seixas (Banda Filarmônica do Rio de Janeiro); Darcio Gianelli, Wagner Polistchuk e Darrin Milling (Osesp); Donizete Fonseca (USP), Robson de Nadai (Unicamp/OSMC); Carlos Freitas (Osusp), Vittor Santos (Rio de Janeiro/RJ); Eduardo Machado “Buá” (1º trombone da OSB); José Milton Vieira (vencedor do programa Pré-Estreia, da TV Cultura 2011 e 1º trombone da OSPA); além do francês Jacques Mauger (trombone solista), do naipe de trombones da OSB (Rio de Janeiro/RJ) e Quarteto de Trombones Trombonaria (Campinas-SP).

As inscrições podem ser feitas por meio do site www.abtrombonistas.com.br até o dia de abertura do evento (3 de junho). A inscrição custa R$ 150 – com desconto de R$ 30 aos que se inscreverem até 1º de junho. Alunos do curso de trombone do Conservatório de Tatuí estão isentos da taxa de inscrição, mas devem apresentar documento de comprovação de matrícula. Serão oferecidas vagas no alojamento do Conservatório de Tatuí aos primeiros 40 inscritos.

O I Simpósio Científico da ABT contará com participação de pesquisadores, professores, profissionais e estudantes. Os trabalhos selecionados estão relacionados às temáticas de performance, educação musical, musicologia/etnomusicologia, tecnologia e música; saúde do músico, entre outros. A relação dos trabalhos selecionados para o Simpósio Científico, bem como os detalhes sobre o Concurso Jovens Solistas poderão ser conferidos também no site da ABT – www.abtrombonistas.com.br.

Raul de Souza
Raul de Souza é filho de um pastor evangélico, cresceu em Bangu, no Rio de Janeiro, onde aprendeu bumbo, pandeiro, caixa e prato e, aos 16 anos, passa a tocar tuba na banda de uma famosa fábrica de tecidos. Em meados de 1960 morou em Londres, mas, em férias no Brasil, em 1964, tocou com o sexteto de Sérgio Mendes. Tocou no Blue Note de Paris com o famoso baterista do bebop, Kenny Clarke. Em 1967, ingressou no RC-7, banda que acompanha Roberto Carlos. Foi fundador do grupo Impacto 8.

Em 1970, teve seu nome inserio na “The Encyclopedia of Jazz in the Seventies”, dos críticos musicais Leonard Feather e Ira Gitler. Em 1973, faz turnê pelos Estados Unidos com Airto Moreira e Flora Purim. Nesse ano, Airto produz Colors, o primeiro álbum americano de Raul, pelo selo de jazz Milestone, arranjado pelo mestre trombonista J.J. Johnson, com as participações do saxofonista Cannonball Adderley e do baterista Jack DeJohnette. A partir de 1977 lançou três álbuns que dão o devido sucesso a Raul de Souza na América: “Sweet Lucy” (1977), “Don’t Ask My Neighbours” (1978) e “Till Tomorrow Comes” (1978), tocando com gigantes do gigantes do jazz como Sonny Rollins, George Duke, Sarah Vaughan, Cal Tjader, Freddie Hubbard, Hubert Laws. Em 1978, apresentou-se com Frank Rosolino no Festival de Jazz de São Paulo.

Em 1980, veio ao Brasil com uma banda de all stars para o Festival Rio-Monterey, no Maracanãzinho. Em 1993, lançou o álbum “The Other Side of the Moon”, em que também toca saxofone alto e tenor, além de cantar a música “Abraço Vazio”. Em 1998, grava o CD “Rio”, em que reedita, com o trombonista Conrad Herwig, os fabulosos duetos do duo J.J.&K (J.J. Johnson e Kai Winding) nos anos 1950.

No final da década de 90, Raul de Souza muda para Paris, fazendo mais ou menos o que Miles Davis tentou em sua fase final: um jazz mais descontraído numa atmosfera pós-fusão, ou neo-fusão. Lançou em 2005, o álbum “Elixir”. Até o final dos anos 2000, realizou diversos CDs, como Jazzmim, em 2006, Soul & Criation e Bossa Eterna, em 2008.

Raul de Souza também inventou o “Souzabone”, um trombone de quatro válvulas, aperfeiçoamento do instrumento de três válvulas. Tocou-o na primeira década da carreira, antes de adotar o trombone de vara.

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 6 =