“Dia da Consciência Negra” retrata disputa pela memória histórica

"Dia da Consciência Negra" retrata disputa pela memória histórica

"Dia da Consciência Negra" retrata disputa pela memória histórica

Preservar a memória é uma das formas de construir a história. É pela disputa dessa memória, dessa história, que nos últimos 32 anos se comemora no dia 20 de novembro, o “Dia Nacional da Consciência Negra”. Nessa data, em 1695, foi assassinado Zumbi, um dos últimos líderes do Quilombo dos Palmares, que se transformou em um grande ícone da resistência negra ao escravismo e da luta pela liberdade. Para o historiador Flávio Gomes, do Departamento de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro, a escolha do 20 de novembro foi muito mais do que uma simples oposição ao 13 de maio: “os movimentos sociais escolheram essa data para mostrar o quanto o país está marcado por diferenças e discriminações raciais. Foi também uma luta pela visibilidade do problema. Isso não é pouca coisa, pois o tema do racismo sempre foi negado, dentro e fora do Brasil. Como se não existisse”.

 

 

 

Zumbi

Zumbi

O 20 de novembro trata da data do assassinato de Zumbi, em 1665, o mais importante líder dos quilombos de Palmares, que representou a maior e mais importante comunidade de escravos fugidos nas Américas, com uma população estimada de mais 30 mil. Em várias sociedades escravistas nas Américas existiram fugas de escravos e formação de comunidades como os quilombos. Na Venezuela, foram chamados de cumbes, na Colômbia de palanques e de marrons nos EUA e Caribe. Palmares durou cerca de 140 anos: as primeiras evidências de Palmares são de 1585 e há informações de escravos fugidos na Serra da Barriga até 1740, ou seja bem depois do assassinato de Zumbi. Embora tenham existido tentativas de tratados de paz os acordos fracassaram e prevaleceu o furor destruidor do poder colonial contra Palmares.

 

 

 

Construindo o “Dia da Consciência Negra”

Há 32 anos, o poeta gaúcho Oliveira Silveira sugeria ao seu grupo que o 20 de novembro fosse comemorado como o “Dia Nacional da Consciência Negra”, pois era mais significativo para a comunidade negra brasileira do que o 13 de maio. “Treze de maio traição, liberdade sem asas e fome sem pão”, assim definia Silveira o “Dia da Abolição da Escravatura” em um de seus poemas. Em 1971 o 20 de novembro foi celebrado pela primeira vez. A idéia se espalhou por outros movimentos sociais de luta contra a discriminação racial e, no final dos anos 1970, já aparecia como proposta nacional do Movimento Negro Unificado.

A diversidade de formas de celebração do 20 de novembro permite ter uma dimensão de como essa data tem propiciado congregar os mais diferentes grupos sociais. “Os adeptos das diferentes religiões manifestam-se segundo a leitura de sua cultura, para dali tirar elementos de rejeição à situação em que se encontra grande parte da população afro-descendente. Os acadêmicos e os militantes celebram através dos instrumentos clássicos de divulgação de idéias: simpósios, palestras, congressos e encontros; ou ainda a partir de feiras de artesanatos, livros, ou outras modalidades de expressão cultural. Grande parte da população envolvida celebra com sambão, churrasco e muita cerveja”, conta o historiador Andrelino Campos, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro.


Para a socióloga Antonia Garcia, doutoranda do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, é importante que se conquiste o “Dia Nacional da Consciência Negra” “como o dia nacional de todos os brasileiros e brasileiras que lutam por uma sociedade de fato democrática, igualitária, unindo toda a classe trabalhadora num projeto de nação que contemple a diversidade engendrada no nosso processo histórico”.

Diferente do 20 de novembro o 13 de maio perdeu força em nossa sociedade devido a memória histórica vencedora: a que atribuiu a abolição à atitude exclusiva da princesa Isabel, aparentemente paternalista e generosa Isabel, analisa o historiador Flávio Gomes. Pesquisas recentes têm recuperado a atuação de escravos, libertos, intelectuais e jornalistas negros e mestiços para o 13 de maio, mostrando como este não se resumiu a um decreto, uma lei ou uma dádiva. Esses estudos também têm resgatado o significado da data para milhares de escravos e descendentes, que festejaram na ocasião.
São poucos os locais onde se mantêm comemorações no 13 de maio. No Vale do Paraíba, no estado de São Paulo, o 13 de maio é dia de festa. “Não porque a princesa foi uma santa ou porque os abolicionistas simpáticos foram fundamentais, mas porque a população negra reconhece que a Abolição veio em decorrência de muita luta”, diz Gomes. Albertina Vasconcelos, professora do Departamento de História da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, também lembra que a data é celebrada em vários centros de umbanda na Bahia como o dia do preto-velho e que moradores antigos do Quilombo do Bananal, em Rio de Contas, Bahia, contam que seus pais e avós festejaram o 13 de maio de 1888 com muitos fogos e festas.

Na opinião de Vasconcelos “é importante comemorar, não para contrapor uma data a outra, os heróis brancos aos heróis negros, mas porque é necessário tomarmos consciência da história que está nessas datas, que traz elementos da nossa identidade”. Para a pesquisadora, assim seria possível contribuir para desmistificar toda a construção ideológica produzida sobre o povo negro.

escravidao 09Nas escolas: muita proposta, pouca mudança
No início de seu mandato o presidente Lula aprovou a inclusão do Dia Nacional da Consciência Negra no calendário escolar e tornou obrigatório o ensino de história da África nas escolas públicas e particulares do país. Embora a decisão tenha sido comemorada, alguns pesquisadores ressaltam que existem obstáculos a serem ultrapassados para que a proposta se transforme em realidade. “Em geral, a história dada segue o livro didático e ele é insuficiente para dar conta de uma forma mais ampla e crítica de toda a história”, ressalta Vasconcelos. Essa avaliação da historiadora é confirmada pela professora de história Ivanir Maia, da rede estadual paulista. “A maioria dos professores se orienta pelo livro didático para trabalhar os conteúdos em sala de aula. Nos livros de história, por exemplo, o negro aparece basicamente em dois momentos: ao falar de abolição da escravatura e do apartheid”.

Campos destaca que alguns livros didáticos de história têm sido mais generosos ao retratar a “história dos vencidos”, mas ressalta que a maioria, inclusive os livros ligados a sua área – a geografia -, continua a veicular os fatos sociais de forma depreciativa, seja referente ao Brasil ou a África. “Encontramos com fartura os elementos de modo civilizatório ocidental como a única verdade que merece maiores considerações”, exemplifica. Uma iniciativa importante que ocorreu nesse período foi o controle dos livros didáticos distribuídos pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), visando evitar a distribuição de livros contendo erros conceituais e representações negativas sobre determinados indivíduos e grupos. Mas, na opinião de Garcia, seria necessário exigir uma maior revisão nessas obras: “os livros didáticos precisariam abordar a participação do povo negro na construção do país, na construção da riqueza nacional, na acumulação do capital e também as suas batalhas, rebeliões, quilombos e suas lutas mais contemporâneas”.

Paula Cristina da Silva Barreto, professora da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal da Bahia, destaca que, além dos livros didáticos, outro foco importante são as propostas de mudança na formação dos professores. “Foi tímido o trabalho feito pelo MEC nessa direção até o momento”, critica a pesquisadora. Na avaliação dela, sem professores bem preparados para abordar temas complexos, como os abordados nos PCNs, “é muito difícil obter sucesso com a alteração curricular e existe uma grande probabilidade de que as escolas não coloquem em prática o que foi proposto”. Os baixos salários pagos e as condições de trabalho desanimadoras nas escolas são fatores também destacados pelos pesquisadores como possíveis responsáveis pelo pequeno envolvimento dos professores com propostas que visam abordar a diversidade étnica e problematizar a questão do negro no Brasil no interior das escolas.


zumbi 01Experiências educativas alternativas
Existem diversos programas educativos espalhados pelo país que são propostos e organizados por entidades ligadas aos movimentos negros brasileiros. Para Campos, a diferença fundamental entre essas propostas e o ensino escolar “é o comprometimento daqueles que montam os programas. Em geral são frutos de experiências de grupos ligados aos problemas dos afro-descendentes; buscam, sobretudo, a eliminação da desigualdade através de um instrumento poderoso: a consciência cada vez maior da coletividade”. Como exemplos, o pesquisador cita o Projeto da Mangueira, voltado para os esportes, que já existe há muito tempo, além de experiências que têm levado meninos e meninas às escolas de sambas-mirins no Rio de Janeiro.

Barreto, que tem acompanhado de perto alguns projetos na área de educação implementados por organizações anti-racistas e/ou culturais de Salvador, destaca como exemplos bem sucedidos a Escola Criativa do Olodum, o projeto de extensão pedagógica do Ilê Aiyê e o Ceafro. “Essas experiências têm sido importantes por fomentarem o debate e gerarem demandas por mais qualidade do ensino público, por um currículo menos eurocêntrico e mais multicultural e multirracial, por melhores livros didáticos e por um ambiente racialmente mais democrático nas escolas”, diz Barreto. O mais interessante é que esses projetos se transformaram em referência para as políticas adotadas por órgãos oficiais como o Ministério Educação (MEC) e as Secretarias de Educação. Combinando educação formal e não-formal esses projetos tratam, por exemplo, de conteúdos presentes no currículo oficial em espaços como os barracões dos terreiros de candomblé ou as quadras dos blocos afro; outros utilizam parte da produção cultural das organizações – letras de música, mitos africanos etc. – no currículo das escolas regulares. O ensino de História da África, na escola do Ilê Aiyê, já acontece há vários anos.

Para Barreto “é de fundamental importância o fato de que as crianças e jovens negros e mestiços são positivamente valorizados nesses projetos, elas são consideradas como portadores de direitos, o que tem um efeito direto sobre a auto-imagem e a construção da identidade pessoal e coletiva”. Atualmente, a socióloga trabalha com projetos educativos voltados para a democratização do acesso e a permanência de estudantes negros e mestiços no ensino superior e coordena o programa A cor da Bahia, que há dez anos realiza pesquisas, publicações e atividades de formação na área de relações raciais, cultura e identidade negra na Bahia. Desde 2002, o programa desenvolve o projeto tutoria, que cria estratégias diversas para estimular, apoiar e promover a formação de estudantes negros que ingressaram na Universidade Federal da Bahia. Com o apoio do programa Políticas da cor fornecem bolsas de ajuda de custo aos alunos e orientação acadêmica, visando o ingresso destes no mercado de trabalho e em cursos de pós-graduação em condições mais competitivas. Na opinião de Barreto, ainda há muito para ser feito com no sentido de assegurar uma maior democratização – em termos raciais e econômicos – do sistema de ensino superior público.

“É preciso entender que a desigualdade no Brasil tem cor, nome e história. Esse não é um problema dos negros no Brasil, mas sim um problema do Brasil, que é de negros, brancos e outros mais”, avalia Gomes.

    Author: Redação

    Share This Post On

    92 Comentários

    1. Thank you for sharing this information with the world. I can appreciate how much research you did on this topic and you really came through with valid points of interest.

    2. You can certainly see your enthusiasm in the work you write. The arena hopes for even more passionate writers like you who are not afraid to mention how they believe. At all times follow your heart. “History is the version of past events that people have decided to agree upon.” by Napoleon.

    3. The segment dust is thinking the affair of father and two elder brothers on this day, always can not calm down to self-discipline.

    4. I love the efforts you have put in this, appreciate it for all the great posts.

    5. Pretty nice post. I just stumbled upon your blog and wanted to say that I’ve truly enjoyed surfing around your blog posts. After all I will be subscribing to your rss feed and I hope you write again soon!

    6. You make so many great points here that I read your article a couple of times. Your views are in accordance with my own for the most part. This is great content for your readers.

    7. I like this website very much, Its a really nice billet to read and get info . “The superior man is modest in his speech, but exceeds in his actions.” by Confucius.

    8. Hi there, just became alert to your blog through Google, and found that it is truly informative. I am going to watch out for brussels. I will appreciate if you continue this in future. A lot of people will be benefited from your writing. Cheers!

    9. Online you can find the most appropriate deal of pay monthly Samsung phone on Orange which can assist you to grab the many offers.

    10. There are only 5 simple parts of an equipment lease calculation- the term of the lease, the interest rate, the value of the equipment, the end purchase option, and of course the payment .

    11. Wonderful beat ! I wish to apprentice while you amend your website, how could i subscribe for a blog website? The account aided me a acceptable deal. I had been tiny bit acquainted of this your broadcast offered bright clear idea

    12. I really like your writing style, great information, regards for posting : D.

    13. Just wanna remark on few general things, The website style and design is perfect, the content material is very good. “The idea of God is the sole wrong for which I cannot forgive mankind.” by Marquis de Sade.

    14. I just needed to allow you to realize that I definitely enjoyed reading this post and I will most likely be back each and every time you’ve a new submit. Good get the job done. My Blog: bit.lyHQjVJP” http:bit.lyHQjVJP

    15. Your article is smokin’! You’ve done a great job with making this clear. I agree with a lot of the stuff in this article. You are a really good writer.

    16. Finally! A blog worth looking at! I bookmarked your website!

    17. Some really good content on this site, thankyou for contribution.

    18. Nice post. I was checking continuously this blog and I’m impressed! Very useful information specially the last part :) I care for such information much. I was seeking this certain information for a long time. Thank you and best of luck.

    19. Hi there, You have done a fantastic job. I抣l certainly digg it and personally recommend to my friends. I am sure they will be benefited from this website.

    20. I was just searching for this info for some time. After six hours of continuous Googleing, at last I got it in your site. I wonder what is the lack of Google strategy that don’t rank this type of informative web sites in top of the list. Normally the top web sites are full of garbage.

    21. I have been surfing on-line more than 3 hours lately, yet I by no means discovered any fascinating article like yours. It is pretty worth sufficient for me. Personally, if all site owners and bloggers made excellent content as you probably did, the internet will probably be much more useful than ever before.

    22. narration and playing of the many parts is impeccable.Les r茅sultats 茅taient doux-rencontre-rue avec une touche r茅tro, s’est 茅chou茅 dans le moderne avec accessoires de cool-girl et un abondant m茅lange de mat茅riaux – du vinyle lisse au cozy mohair.

    23. disgraceful.Authentic Prada is unusually heavy for a purse because of the materials used.

    24. I’m still learning from you, as I’m making my way to the top as well. I definitely love reading everything that is written on your website.Keep the stories coming. I liked it!

    25. Odysseus lisened to the Circe and did just that.Hermes has been dedicated to customer service.It’s a romance, but all the versions of the Densha Otoko story inherently have romantic elements to them (including the happily ever after ending).Danmark.Isle Of Man.Viz Pictures Announces Train Main Film Premie

    26. Now, I’ve completely cut out the beer,” she said with a laughUzbekist谩n.David Benoit rapporter om markeder Hub.

    27. Cal猫che Fleurs de M茅diterran茅e is available worldwide at Hermes Boutiques, select Neiman Marcus stores, and Bergdorf Goodman in NYC.Kaman se unir amigo Dirk Nowitzki, su compa de equipo en el equipo nacional alem durante los Juegos Ol de 2008.HallBooks by Graham HancockAlphabet of the Earth – Sacred Geometry Golden Meaning – Dan WinterSacred Geometry: Coherent Emotion – Dan WinterThe Only Way To Learn Astrology – Marion D.So don’t get involved in one of the jewelry business’s trade-in deals.

    28. Somebody necessarily lend a hand to make significantly posts I would state. That is the first time I frequented your website page and up to now? I amazed with the research you made to make this actual publish extraordinary. Wonderful process!

    29. They also educate patients and communities about different ways to obtain overall healthThey produced Louis Vuitton look-alike artist and discover for yourself that may their requirement is growing greatly daily louis vuitton damier.Poseidon vied to be the ruler of Athens.

    30. Nya ZeelandThey are way ahead of everybody else and get punished for it.

    31. I conceive this site has some rattling superb info for everyone mytechnwp-includesimagessmiliesicon_biggrin” . “Morality, like art, means a drawing a line someplace.” by Oscar Wilde.

    32. I’ve been browsing online more than three hours today, yet I never found any interesting article like yours. It抯 pretty worth enough for me. In my view, if all web owners and bloggers made good content as you did, the net will be a lot more useful than ever before.

    33. Attractive section of content. I just stumbled upon your weblog and in accession capital to assert that I get in fact enjoyed account your blog posts. Any way I will be subscribing to your augment and even I achievement you access consistently rapidly.

    34. This silvery water fog just flew over the half pillar joss-stick time, and then had three stronger silvers only and appeared this waters later on.

    35. I really like your writing style, superb info, thank you for posting :D. “He wrapped himself in quotations- as a beggar would enfold himself in the purple of Emperors.” by Rudyard Kipling.

    36. Hi, i think that i saw you visited my web site so i came to “return the favor”.I am trying to find things to improve my website!I suppose its ok to use a few of your ideas!!\

    37. we came across a cool site that you might enjoy. Take a look if you want

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *