Curitiba será tema de enredo no Carnaval de São Paulo

nene da vila matilde

A escola de samba Nenê de Vila Matilde escolheu Curitiba como tema de seu enredo para o desfile de Carnaval do Grupo Especial de São Paulo em 2017. Mesmo sem repasse de qualquer recurso público, a Fundação Cultural de Curitiba (FCC) vai acompanhar todo o processo de desenvolvimento do samba-enredo, com liberação de uso de imagens da cidade, pesquisa de conteúdos, liberação de obras intelectuais de terceiros e promover o estímulo a parcerias e patrocínios entre agentes locais, segundo informações da Prefeitura Municipal de Curitiba.

O termo de apoio e cooperação cultural foi firmado pela administração municipal com a agremiação nesta quinta-feira (12), e que ainda prevê que a escola paulistana que deve apresentar projeto de contrapartida cultural para o fortalecimento das escolas de samba de Curitiba e a gestão do carnaval da cidade. E pelo menos um grande patrocinador já está garantido: o Shopping Total, onde aconteceu o evento de assinatura do termo de apoio, com a presença do prefeito Gustavo Fruet, vereadores Pedro Paulo e Joni Stica, Marcos Cordiolli Presidente da Fundação Cultural, representantes da Nenê de Vila Matilde, Rinaldo José Andrade o Mantega Presidente, Lucia Helena da Silva Diretora, Carlos Seles Diretor, André Guimarães Diretor da Liga das Escolas de Samba de São Paulo além de carnavalescos e sambistas de Curitiba representando a velha guarda do Samba Paranaense como Glauco Souza Lobo e o jornalista e compositor Cláudio Ribeiro (a Nenê de Vila Matilde foi a primeira Escola de Samba que ele viu desfilar ainda criança na década de 60 em Sp).  Ali também estavam presentes nomes importantes da cultura popular da cidade como de Marlene diretora de carnaval, o estilista Ney Souza, um dos maiores carnavalescos do Brasil que ao lado de Glauco e de Cláudio foi convidado a desfilar pela agremiação paulista o ano que vem, fotografo Luiz Henriique Fontes Wanderley da UNEGRO e de empreendedores do Shopping Total, primeiro patrocinador oficial dessa parceria inédita. Aconteceu uma apresentação da bateria da Escola de Samba Acadêmicos da Realeza, vice-campeã do Carnaval de Curitiba 2016 esquentando o clima do encontro.

marcos Cordiolli, João Nartins. Rinaldo José Andrade (Presidente da Nenê da Vila Matilde), compositor Cláudio Ribeiro e o carnavalesco Glauco Souza Lobo.

Marcos Cordiolli, João Nartins. Rinaldo José Andrade (Presidente da Nenê da Vila Matilde), compositor Cláudio Ribeiro e o carnavalesco Glauco Souza Lobo.

André Guimarães diretor da Liga das Escolas de Samba de São Paulo e Cláudio Ribeiro

André Guimarães diretor da Liga das Escolas de Samba de São Paulo e Cláudio Ribeiro

Em um bate papo animado entre os sambistas de São Paulo e Curitiba o jornalista Cláudio Ribeiro que já presidiu a Comissão de Carnaval da cidade e  a Escola de Samba Colorado a primeira escola de Samba do Paraná disse que a participação de empresas patrocinando a cultura popular carnavalesca é mais que importante e mostra que, dentre os fatores que motivam as empresas a investir em desfile das Escolas de Samba, destacam-se “ganho de imagem institucional e com isso agregar valor à marca da empresa” e o reforço do papel social da empresa”. As empresas e o comercio de uma forma geral devem estar atentos a isso tudo. Porque o carnaval é arte e cultura. Porque o desfile das escolas de samba é um evento eminentemente de comunicação. Porque a união entre mercado e cultura – seja sob a forma de patrocínio – todos ganham. Se o que foi apresentado neste breve encontro de sambistas for levado em conta, pode-se dizer que a parceria tem tudo para dar certo.

 

cr fruetFeliz e dizendo ser importante para a cidade e para as empresas de Curitiba, o prefeito Gustavo Fruet afirmou que sem qualquer repasse de recursos, o poder público municipal vai auxiliar a escola com a liberação de uso de imagens da cidade, pesquisa de conteúdos, liberação de obras intelectuais de terceiros e promover o estimulo a parcerias e patrocínios entre agentes locais. Fica também estabelecido que a escola paulistana deverá apresentar projeto de contrapartida cultural para o fortalecimento das escolas de samba de Curitiba e a gestão do carnaval da cidade.

nene0001

Exposição

Organizado pela Liga Independente das Escolas de Samba, a Liga SP, o desfile das escolas de samba do Grupo Especial em 2016 foi visto na televisão por mais de 2,5 milhões de pessoas em São Paulo. O evento também foi transmitido para mais de 118 países e ocupou grande espaço na mídia nacional.

 

Tradição

Campeã em 13 ocasiões, a escola já levou para avenida enredos em homenagem a Moçambique, Ziraldo, Câmara Cascudo e o Folclore Brasileiro, Xica da Silva e em 2016 a atriz e bailarina Claudia Raia.

 

nene anti 01O Grêmio Recreativo Escola de Samba Nenê de Vila Matilde foi fundado em 1º de janeiro de 1949 por um grupo de sambistas liderados por Alberto Alves da Silva, o Nenê, um dos últimos cardeais do samba, como são chamados os fundadores das escolas tradicionais criadas nas décadas de 1940 e 1950.

O Grêmio Recreativo Escola de Samba NENÊ DE VILA MATILDE foi fundado por um grupo de sambistas que na década de 40 faziam rodas de samba e tiririca no Largo do Peixe, no bairro da Vila Matilde, Zona Leste de São Paulo, eles resolveram fundar uma escola de samba.

nene bateria

No dia 1º de janeiro de 1949, ao tentar registrar e assinar a ata de fundação, as pessoas que viriam a ser os grandes baluartes da agremiação perceberam que tinham esquecido do mais importante: o nome da escola. Estavam todos muito nervosos com a situação, surgiram algumas ideias, como Unidos do Marapés e Primeiro de Janeiro, mas nenhuma delas agradou a todos, até que o homem que trabalhava no cartório perguntou quem era aquele que enquanto todos discutiam o nome da escola tocava o seu pandeiro tranquilamente. Responderam-lhe que era o Nenê. O funcionário então sugeriu que o nome da escola fosse Nenê, o que agradou a todos. A Nenê já nasceu como escola de samba, ao contrário de algumas das outras grandes escolas de São Paulo, como Camisa e Vai-Vai, que foram fundadas como cordões, ou Rosas, Mocidade e Gaviões, que eram blocos.

 

nene ant 03A escola só passou a competir com as grandes da época no carnaval de 1953. A Nenê já mostrou que vinha para acabar com o monopólio da grande escola da época, a Lavapés. Escola mais antiga da cidade, fundada em 1931, a Lavapés foi a grande campeã do início dos carnavais de São Paulo. Como demonstração de sua força, a Nenê já ganhou o seu primeiro título em 1956 quando trouxe para a avenida o primeiro samba-enredo da história do carnaval de São Paulo, Casa Grande e Senzala, e logo depois o seu primeiro tricampeonato, em 1958, 1959 e 1960. Na década de 1960 a Nenê foi a grande campeã, em 1960, 1963, 1965, 1968, 1969 e 1970 (seu segundo tricampeonato).

Em 1986 a escola viveu um dos seus maiores momentos com o enredo Rabo do Foguete, desfile aclamado como o campeão da noite, ao lado de Camisa Verde e Branco, Rosas de Ouro e Vai-Vai, mas que obteve apenas o terceiro lugar. Durante os desfiles de 1987, ano de grandes sambas, a Vila foi a última a se apresentar, com um estilo irreverente de desfilar, a escola saiu como uma as favoritas, apresentando o melhor conjunto de fantasias, mais alegorias pequenas para os padrões já da época, e sucumbiu num 5º lugar muito protestado.

 

No ano de 1988, centenário da abolição da escravatura, a Nenê decidiu não homenagear a comunidade negra, sabendo que a maioria das escolas viria com um tema relacionado. Ao invés disso, a diretoria preferiu falar sobre a Zona Leste de São Paulo, segundo a visão de Paulistinha, um de seus grandes baluartes. No enredo, foi abordada, sob um ponto de vista extremamente positivo, a condição de ser um morador de um lugar tão abandonado. Também foram citados o Largo do Peixe, a fundação da escola, o trem que leva os trabalhadores de Guaianazes à Estação Roosevelt e o Corinthians. Devido à falta de destaques sobre os carros, a escola perdeu quatro pontos que a impediram de conquistar o título, porém mesmo assim ficou marcado com um dos maiores desfiles do carnaval de São Paulo.

 

Filosofia

A filosofia consiste em enriquecer a tradição do carnaval, por meio do desenvolvimento cultural e artístico do samba, de modo a incentivar o aperfeiçoamento moral, intelectual e emocional de seus associados, sem fazer distinção de raça, classe, religião ou convicção política.

Missão

A partir de propósitos sociais e culturais, a missão da Nenê de Vila Matilde é promover um espaço para a integração da comunidade, sintetizando e recriando a imagem coletiva da sociedade, de seus mitos, valores, culturas e realidades.

nene ant 02Com a entrada de blocos e cordões na disputa como escolas de samba, a Nenê ficou um bom tempo sem ganhar títulos, mas mesmo assim fez história. Como em 1976, o ano em que a bateria da Nenê foi a primeira de São Paulo a apresentar coreografias. Fez sambas até hoje citados como alguns dos melhores de São Paulo: Baluarte Candeia (1981), Palmares, raiz da liberdade (1982) e Gosto é gosto de não se discute (1983). Foi durante esse período que a Nenê conquistou uma de suas maiores glórias, a única bateria que ficou 26 anos consecutivos tirando apenas notas 10.

 

Em 1985, com o enredo “ Quando o cacique rodou a baiana” após conquistar o seu décimo título com muito louvor, a escola foi convidada para desfilar ao lado de Mocidade Independente de Padre Miguel e Beija-Flor de Nilópolis durante o desfile das campeãs do Rio de Janeiro, na Marquês de Sapucaí. Até hoje a Nenê é a única escola de São Paulo que recebeu esse convite.

 

Em 1989, cantando seus quarenta anos de história, e apostando na inspiração afro, característica marcante da escola, a Nenê levantou a Tiradentes.

 

Em 1990 a escola viveu seu pior momento, ao desfilar sem cinco carros, após uma chuva que devastou São Paulo. Devido a isso, a Nenê terminou a disputa em oitavo lugar.

 

nene fundadorSobre o Seu Nenê

 

O Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Nenê de Vila Matilde é uma das mais tradicionais escolas de samba da cidade de São Paulo. Foi fundada em 1949 por Seu Nenê, que foi presidente da escola por 47 anos, até passar o comando da entidade em 1996 para seu filho, Alberto Alves da Silva Filho, em razão de alguns problemas de saúde.

 

Mesmo assim continou a desfilar em todos os anos seguintes. A Nenê possui onze títulos do Carnaval de Sâo Paulo, entre eles dois tricampeonatos. Até 2000 ela foi a escola com mais títulos do carnaval da capital de São Paulo. Em entrevista após o desfile de 2004, seu Nenê declarou que os dois maiores orgulhos que a escola lhe proporcionou foram o desfile no Rio em 1985 e a viagem a Portugal.

 

A Nenê ainda tem orgulho de ser afilhada da Portela, escola do Rio de Janeiro, e ter protagonizado a primeira roda de samba televisada em 1970, quando a TV exibiu para todo o Brasil esse batizado.

 

Seu Nenê é referência quando se fala de samba, carnaval e cultura brasileira. Nascido em Minas gerais, ainda menino mudou-se com a família para o rio de janeiro, onde foi criado e ainda adolescente mudou-se para São Paulo.

 

Casou-se com Dona Tereza, teve três filhos e cinco netos. Falecido no dia 04 de outubro de 2010, Seu Nenê será sempre lembrado e enaltecido por seu jeito sereno, justo, paciente e inteligente.

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *