Compor não é tarefa fácil – Gério Kaminski*

futecomp

Adequar texto e melodia, ajustar a métrica, buscar sinônimos para harmonizar o contexto, parar tudo e se colocar como uma parabólica na busca de uma fagulha inspiradora ou começar tudo de novo quando não se está satisfeito com o resultado.

Geralmente, tudo começa com um mote, um start de uma situação ou até de um pedido.

O “canal” deve estar aberto para que a inspiração possa fluir espontaneamente ao ponto de você se surpreender com o resultado, numa quase psicografia.

Declarações de amor, dor de cotovelo, protestos e apelos são alguns motivos das composições.

Para as mais populares e comerciais, um bom refrão – daqueles de impregnar em seus neurônios – salva toda a encheção de linguiça do resto.

O binômio coração-cérebro dita o teor da composição, uma mais emoção, outra mais razão.

Entre as várias paixões do brasileiro está o futebol, independente de ser o objeto de sua obra, mas que, com certeza, faz suas veias pulsarem ritmicamente.

Quinze de janeiro é o “Dia Internacional do Compositor” e como homenagem, vale se destacar alguns de nossos autores e suas humanas preferências pelo esporte das massas.

Alguns se deixaram fotografar com as cores de seu clube preferido, outros apenas marcaram registros orais ou escritos em seus versos.

Dois exemplos de discrição são a do poetinha Vinícius de Moraes, botafoguense assumido e do “americano” Lamartine Babo que compôs os hinos dos grandes times cariocas.

Outros dão à cara a tapa e expõem suas viscerais predileções clubísticas.

 

Em meu trabalho autoral, também deixei meu registro ao meu time de coração: Coritiba, o Coxa; e também numa canção que fiz para um festival de música de Paranaguá, homenageando o clube da cidade: Rio Branco, o Leão da Estradinha.

Vejamos alguns clubes e seus ilustres compositores/torcedores:

CORITIBA: Ivo Rodriguez, Dirceu Graeser, Cláudio Ribeiro

ATLÉTICO PARANAENSE: Paulo Leminski

FLUMINENSE: Chico Buarque, Cartola, Renato Russo

FLAMENGO: Gabriel o Pensador, Jorge Benjor, Djavan

VASCO: Paulinho da Viola, Martinho da Vila, Raul Seixas

BOTAFOGO: Vinicius de Moraes, Marisa Monte

AMÉRICA: Lamartine Babo

PALMEIRAS: Moacyr Franco, Roberto Carlos, Sérgio Reis

CORINTHIANS: Tom Zé, Rita Lee

SÃO PAULO: Juca Chavez

SANTOS: Zeca Baleiro, Paulo Miklos

INTERNACIONAL: Kledir

GRÊMIO: Humberto Gessinger, Kleiton

CRUZEIRO: Milton Nascimento, Samuel Rosa

ATLÉTICO MINEIRO: Almir Satter, João Bosco

FORTALEZA: Fagner

CEARÁ: Falcão

BAHIA: Carlinhos Brown, Gilberto Gil, Caetano Veloso

SPORT RECIFE: Lenine

SANTA CRUZ: Capiba

gerio* Professor e Compositor

Gério Kaminski

    Author: Claudio Ribeiro

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *