Comissão de Ética Pública pede explicações à ministra da Cultura

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República decidiu decidiu pedir à ministra da Cutura, Ana de Hollanda, explicações a respeito de camisetas que ela teria recebido da escola de samba Império Serrano, do Rio de Janeiro.

De acordo com o advogado Roberto Caldas, integrante da comissão, a ministra terá dez dias para prestar os esclarecimentos por escrito. A explicação da ministra será analisada na próxima reunião da comissão, marcada para 16 de abril.

Reportagem de 13 de março do jornal “Correio Braziliense” afirmou que, depois de o Ministério da Cultura zerar a inadimplência da escola de samba, a ministra teria recebido oito camisetas para que ela e amigos desfilassem na ala da diretoria da agremiação. Na ocasião, segundo o jornal, a assessoria do ministério informou que se tratava de uma camiseta para desfilar em um grupo em homenagem à sambista Dona Ivone Lara.

Segundo Caldas, o pedido de informação foi decidido por unanimidade pela comissão.Ainda não foi definido quem será o relator do caso na Comissão de Ética.

Ana de Hollanda foi a segunda ministra a receber pedido de esclarecimentos após a reunião desta segunda da Comissão de Ética Pública. Pela manhã, os integrantes da comissão já haviam decido pedir informações ao ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, sobre suas atividades de consultoria. Ele também terá dez dias para enviar as informações.”Oficializamos para ouvi-la [ministra] a respeito das camisetas. Ainda é preliminar. Não há indícios concretos. Vamos esperar os esclarecimentos. É uma oitiva preliminar, não tem processo”, disse o integrante da comissão.

No começo de dezembro, reportagens do jornal “O Globo” informaram sobre serviços de consultoria que Pimentel prestou a empresas, uma delas contratada pela Prefeitura de Belo Horizonte. O ministro negou as irregularidades e disse que os serviços foram prestados entre 2009 e 2010, quando já não era prefeito da capital mineira nem ministro do governo federal.

Nesta segunda, os membros da comissão também avaliaram as denúncias envolvendo licitações públicas. Segundo o advogado Roberto Caldas, a comissão vai tentará discutir o problema junto com a Controladoria-Geral da União.

“Uma questão que nos preocupou são as graves denúncias de problemas com licitação. Não vimos nenhuma autoridades envolvida diretamente […] Vamos nos apresentar para a CGU para discutir o problema”, afirmou Caldas.

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + nove =