Começa Festival de Documentário Musical

Renato Matos e seu Ziriguidum do Além

O 7º Festival Internacional do Documentário Brasileiro – IN-EDIT BRASIL – primeiro festival nacional dedicado exclusivamente ao documentário musical, vai ser realizado de 2 a 12 de julho, na Cinemateca Brasileira (SP) e de 14 a 19 de julho, na sala Walter da Silveira, em Salvador (BA).

Serão exibidos documentários do mundo inteiro. A programação inclui ainda bate-papo com diretores, apresentação musical e sessões surpresas. Algumas sessões são gratuitas, outras terão preço simbólico que varia de R$1 a R$12 reais.
Neste ano, o diretor e escritor norte-americano Murray Lerner será o homenageado do Festival. O Festival apresentará cinco relevantes obras de Lerner, conhecido por seus registros de momentos musicais importantes e filmagens de apresentações ao vivo. Entre os títulos apresentados estão o grande vencedor do Oscar de melhor documentário em 1981, From Mao to Mozart: Isaac Stern in China; The Other Side of the Mirror: Bob Dylan at the Newport Folk Festival e Blue Wild Angel: Jimi Hendrix Live at the Isle of Wight 1970.
Em From Mao to Mozart: Isaac Stern in China, o diretor mostra a entrada da cultura ocidental no extremo oriente através da apresentação do violinista Isaac Stern, convidado para tocar com a Orquestra Sinfônica Nacional da China. Em The Other Side of the Mirror: Bob Dylan at the Newport Folk Festival, Lerner acompanha a evolução de Bob Dylan como músico e sua participação  em três edições do Newport Folk Festival. Já em Blue Wild Angel: Jimi Hendrix Live at the Isle of Wight 1970, o diretor registra o último show de Jimi Hendrix, na Inglaterra, duas semanas antes de morrer.
Entre os destaques da programação está o documentário “Zirigdum Brasília – A arte e o sonho de Renato Matos”, de André Luiz Oliveira, premiado no Festival de Cinema de Brasília 2015 e que será lançado no dia 27 de agosto no Cine Brasília. O documentário retrata a arte de Renato Matos, um artista local. “Escolhi o Renato pela admiração que tenho pelo trabalho dele. Ele é extremamente criativo, influenciou jovens na década de 70 e na construção da identidade artística e cultural da cidade”, disse André Luiz Oliveira. Renato Matos comemorou a homenagem. “É uma satisfação ter um documentário sobre mim. Estou vendo o filme vivo,  geralmente, as pessoas são lembradas ou homenageadas quando morrem”, afirma. O nome Zirigdum foi inspirado no instrumento criado e batizado por Matos de Zirigdum do Além, instrumento musical que, segundo Matos, parece um “piano de berimbaus” por combinar arcos, caixas e cabaças com cordas.
Além de São Paulo e Salvador, o Festival já teve três edições no Rio de Janeiro e poderá ser recebido em outras cidades nos próximos anos. “Temos a intenção de levar o festival para outras cidades, mas ainda não conseguimos viabilizar. É uma meta.”, contou o produtor do Festival, Leonardo Kedhi.

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *