Carnaval de Antonina (Pr) promete agitar os foliões

CARNAVAL antonina 2010O Carnaval mais popular do Paraná, em Antonina, divulgou a sua programação para este ano (ver quadro), quando a cidade espera receber, mais uma vez, de 35 mil a 40 mil pessoas por dia de festa, que é a capacidade máxima para recepcionar os foliões.

Serão cinco escolas que vão passar pela “Avenida do Samba” com seus criativos sambas-enredos, carros alegóricos e as tradicionais alas: Escola de Samba do Batel, Batuqueiros do Samba, Leões de Ouro, Capela e Portinho.

Para aumentar a segurança durante o Carnaval, a prefeitura de Antonina anunciou que vai ampliar o efetivo policial e que mais 30 homens da segurança privada estarão a postos.

Este ano, o Carnaval de Antonina se estende para a Ponta da Pita e para o Mercado Municipal, onde haverá o “Terreirão do Samba”, aberto a quem quiser participar tocando qualquer modalidade musical, como samba, choro ou pagode, bastando se inscrever no local.

Enquanto o feriado não chega, as escolas de samba e os blocos carnavalescos já fazem a festa nas ruas históricas do centro da cidade, durante os ensaios. No próximo sábado, uma prévia acontece com o desfile dos tradicionais blocos, alguns com mais de 80 anos de história.

 CARNAVAL02 programa antonina


Tradição

Visto como uma das mais tradicionais festas momescas do País, o Carnaval de Antonina caracterizou-se pelas brincadeiras de rua, do final do século 19 até os anos 20s.

As pessoas pintavam-se e vestiam-se de cores alegres e saiam às ruas jogando água perfumada uns nos outros. Banhos com baldes de água do mar, tiradas das canoas previamente inundadas, era uma diversão indispensável. 

As brincadeiras com água foram substituídas por confetes e serpentinas no início do século 20 e os trajes foram ficando cada vez mais coloridos, com as camisas listradas e os chitões.

 

Logo depois começaram os bailes em sociedades como o Clube Antoninense, Não tem tempo, Brinca quem pode, Matarazzo, Primavera e Operários, que deram origem aos cordões carnavalescos compostos por pessoas com as mesmas fantasias que tocavam instrumentos como violão, cavaquinho, reco-reco e pandeiro, animando os blocos dos Malandros, Brinca pra não chorar, Marinheiros da água doce, Chapéu de palha, Marinheiros do amor e outros.

Luciana Cristo

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *