Cândida a comédia.

biaBia Seidl volta para última temporada de Cândida, comédia de Bernard Shaw, no Teatro Augusta. Tem sessões de graça para escolas e ongs. A montagem do Núcleo Experimental, que retorna de sua turnê nacional, encerra a trilogia do diretor Zé Henrique de Paula sobre a identidade masculina, iniciada com R&J de Joe Calarco e Mojo de Jez Butterworth. No programa de democratização de acesso, a peça faz sessões de graça para professores e alunos da rede pública de ensino médio

Foram mais de 200 apresentações e 50 mil espectadores nesses dois anos de carreira. Sucesso de crítica e de público, Cândida, de Bernard Shaw, dirigida por Zé Henrique de Paula, retorna a São Paulo para sua última temporada. A peça – que cumpriu temporadas em São Paulo, Rio de Janeiro e Campinas  esteve em turnê nacional por 17 cidades brasileiras, entre elas Belo Horizonte, Salvador, Recife, Fortaleza, Vitória, Campo Grande e Porto Alegre, alem, de Interior de São Paulo e Santo André – mantém o elenco original desde sua estreia em 2008. No palco estão Bia Seidl no papel-título, Sergio Mastropasqua, Thiago Carreira, Fernanda Maia, Thiago Ledier e João Bourbonnais. 

Sessões gratuitas para escolas e ongs – Democratização de acesso

Por meio do Programa de Ação Cultural do governo do Estado de São Paulo, Cândida faz apresentações gratuitas para escolas públicas de ensino médio e escolas públicas profissionalizantes, além de ongs que trabalham com jovens e adultos, sempre para público com mais de 15 anos. As sessões de graça podem ser agendadas pelo site do grupo e acontecem no próprio Teatro Augusta. www.nucleoexperimental.com.br

Perspicácia nos Diálogos

Escrita em 1895 pelo dramaturgo irlandês Bernard Shaw, a comédia – que pertence ao grupo denominado pelo próprio autor de “Peças Agradáveis” – retrata os perigos de um iminente triângulo amoroso. Cândida é a dedicada esposa do reverendo Morell, um pastor anglicano de ideologia socialista. Com a chegada do jovem Eugênio, um aristocrata, a estabilidade desse casamento será questionada diante da  constante possibilidade de traição, levando a peça para um desfecho inusitado.

Apesar de o papel titulo ser feminino, Cândida trata fundamentalmente de uma questão masculina: a autoimagem do homem maduro. Isto a coloca em perspectiva com R&J, na qual garotos descobrem seus impulsos afetivos e sexuais e Mojo, onde homens na faixa dos 20 anos tentam achar o seu lugar no mundo.

Autor de mais de 50 peças, em Cândida – que muitos consideram sua melhor obra – Shaw demonstra sua ironia e irreverência por meio de diálogos afiados, nos quais nada escapa de seu olhar crítico: família, o papel da mulher, utopias políticas, classes sociais e religião.

Texto: Bernard Shaw. Tradução e Direção: Zé Henrique de Paula. Elenco: Bia Seidl (Cândida), Sergio Mastropasqua (Morell), Thiago Carreira (Eugênio), Fernanda Maia (Prosérpina), Thiago Ledier (Lexy) e João Bourbonnais (Burgess).

Até 19 de dezembro de 2010,
no Teatro Augusta

Local: TEATRO AUGUSTA  (320 lugares)
Endereço: Rua Augusta, 943. Tel: (11) 3151-4141.
Horário(s): Sextas às 21h30, sábados às 21h e domingos às 18h
Data(s): até 19 de dezembro de 2010
Preço(s): sexta R$30,00 sábado: R$ 60,00 domingo: R$ 50,00
Classificação: 14 anos
Duração: 110 minutos
Pelo site: www.ingressorapido.com.br
Bilheteria:  quarta e quinta das 14h00 às 21h00, sexta das 14h00 às 21h30, sábado das 15h00 às 21h00 e domingo das 15h00 às 19h00. Capacidade – 320 lugares. Cartões – Mastercard, Dinners Club e Redeshop.
Estacionamento com convênio (R$ 10,00 o período).

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *