A República dos Sonhos» de Nélida Piñon

Romance vencedor do Prémio da Associação de Arte de São Paulo, Prémio Ficção Pen Clube e Premio Juan Rulfo, entre outros, «A República dos Sonhos», de Nélida Piñon, Prémio Príncipe de Astúrias das Letras, foi reeditado recentemente pela Temas & Debates/Círculo de Leitores. Uma obra obrigatória neste Natal.

«A República dos Sonhos» foi editado há 30 anos e de imediato colocou o nome da brasileira Piñon no circuito literal mundial. Numa obra de enorme fôlego, a escritora narra uma extensa saga familiar espanhola que parte para São Paulo no início do século XX. Eulália e Madruga, principalmente o último, grande “animador” do romance, «uma imparável força da natureza», são os personagens centrais da trama.

Mas «A República dos Sonhos» apresenta evidentemente outros personagens, antepassados e descendentes de ambos (como não referir o nome de Breta, provavelmente o alter-ego da própria autora… Mas também Venâncio, Aquilina, etc.).

A árvore genológica criada por Piñon é fascinante, um mundo que une em concreto dois países: Espanha e Brasil, ou melhor, a Galiza e o Brasil. Uma ligação que tem uma justificação pessoal: a autora é filha de imigrantes galegos, que também foram “desbravar” o Brasil.

«- Quero a América, tio. Preciso de dinheiro para a passagem.

Justo ficou em silêncio. Pareceu não ouvir. Voltei a falar do Brasil como um país onde havia estado, razão de tudo me ser tão familiar. Aquele país do outro do lado do mar.

– Mar, não – ele apressou-se a corrigir. – O mar não serve para nós, galegos. Só o oceano. De preferência o Atlântico, nosso vizinho.»

Como os pais da autora, também Madruga não se contentou com a sua aldeia, escolhe a emigração para vencer na vida. Se a vida assim permitir… Piñon “desembarca” com os seus personagens num país que sonha em ser grande, que oferece inúmeras oportunidades para quem deseja trabalhar. Um sonho que no entanto é confrontado com a dura realidade.

Numa obra com vitórias e derrotas, alegrias e tristezas, fantasias e devaneios, pujança e pobreza, deslumbramento e terror, Piñon oferece ao mesmo tempo um impressionante fresco do Brasil, dos passos que deu no século XX. A autora junta como ninguém em «A República dos Sonhos» a ficção com a realidade para contar a história contemporânea do país que acolheu os seus avós.

 

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *