A CULTURA DE SAIA

Artigo de Elizabeth Capponi

Artigo de Elizabeth Capponi

Ao receber o convite de André e Angelita Costa para escrever esta coluna falando sobre a produção cultural no Paraná, imediatamente me veio o tema desta edição: Mulheres!

 

 O momento merece especial atenção a atuação da mulher no Brasil, no Paraná e na Região Oeste onde elas começam a ocupar lugares de destaque quando o assunto é cultura.

 No plano nacional, Ana de Holanda assume a pasta do Ministério da Cultura e enfrenta, logo no início do mandato, a reformulação da Lei do Direito Autoral, tema tão polêmico que tem recebido duras críticas das entidades setoriais mais atuantes, principalmente na área da música.

 Na presidência da Fundação Cultural de Curitiba, Maria Cristina Andrade Vieira assume o cargo com bagagem de sobra. Foi ela a primeira mulher a presidir uma Associação Comercial no país. Idealizadora do Natal do Palácio Avenida, que faz de Curitiba uma das cidades mais procuradas na véspera da festa natalina por turistas de todo o Brasil. É a cultura movimentando os setores econômicos há 20 anos.

 “Temos que beijar o chão que as feministas pisaram.”

Gleisi Hoffmann em entrevista   à Revista Idéias (2010)

 O Teatro Guaíra volta para as mãos de Mônica Rischbieter, roteirista, produtora de cinema, que já comandou o Teatro e também foi secretaria estadual de cultura no governo de Jaime Lerner. Cuidar das instalações de um dos maiores ícones da nossa cultura e transformá-lo num gigante semeador da acessibilidade são desafios.

 

Em Cascavel, Judet Bilibio, à frente da Secretaria da Cultura, procura manter um diálogo franco entre a produção cultural local e o intercâmbio com outras produções de fora para enriquecer a cena.

 

Na esfera pública, bem como na iniciativa privada, encontramos o time feminino tomando frente quando o assunto é cultura e responsabilidade social.

Giselle Singel está na divisão de Relacionamentos Corporativos/ Responsabilidade Social da Kraft Foods e cuida de apoiar projetos focados na democratização. Karla Camargo é gerente de Relações Institucionais da Syngeta, que também busca, nas suas parcerias, ações culturais de cunho social com atuações também na região Oeste. Bruna Karas, na Volvo do Brasil, segue a mesma linha.

 

Vasculhando na história, passado, presente e futuro, vale deixar registrada a importância de mulheres na cultura paranaense como Yara Sarmento, Chloris Casagrande Justen, Letícia Sabatella, Liamir dos Santos Hauer, Moema Vitória Cit Meyer, Ida Hennemann de Campos.

 

A presença feminina na cena cultural indica que sim, estamos ocupando espaço!

 

A Fundação Cultural de Foz lança o Sistema Municipal de Informações e Indicadores Culturais – SMIC, que faz o cadastramento de artistas locais pessoa física e jurídica. A classe pode pedir explanações de como concorrer aos recursos do Fundo Municipal de Cultura na Fundação Cultural. Parabéns a classe pela conquista do FMC

Beth Capponi é Produtora Cultural em Curitiba, escreveu o artigo, desenhou as ilustrações, indicou músicas e nós aqui da editora achamos que ela também canta e dança. Beth você é doce!

 

Portais para acesso:

www.brasilcultura.com.br

www.tguaira.pr.gov.br

www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

www.andradevieira.com.br

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *