Arroz carreteiro Mandirituba* (com sobras de churrasco)

A origem do Arroz de Carreteiro, ou arroz carreteiro, está nas carreteadas pelos caminhos do Sul (Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), desde os primórdios da civilização dessa região. Mandirituba, nome que leva este prato, fica na região metropolitana de Curitiba.

Ingredientes
• 2 xícaras de arroz
• 6 dentes de alho picados
• 1 cebola grande picada
• 2 tomates picados
• 1/2 pimentão amarelo picado
• Cheiro verde a gosto
• Sal a gosto
• 2 colheres de sopa de óleo
• 1 caixinha de molho de tomates pronto (opcional)
• Sobras de carne, frango, porco e/ou linguiça de churrasco

Modo de Preparo

1. Em uma panela grande refogue com óleo, o alho, a cebola e o pimentão, quando amolecerem junte as carnes picadas e deixe refogar mais um pouco
2. Junte os tomates e em seguida o arroz, cubra com água e deixe cozinhar
3. Nessa hora pode-se juntar o molho de tomates
4. Avalie durante o cozimento se será necessário acrescentar mais sal
5. Quando o o arroz estiver quase cozido, salpique cheiro verde e sirva em seguida

* Mandirituba – A fase do ouro foi realmente a responsável pela povoação dos Campos Gerais.6 A partir do século XVII iniciou-se a cata do ouro de aluvião,7 e apesar do resultado da garimpagem nunca ter sido o esperado, quando se esgotou, a população garimpeira que aí permaneceu, dando origem a inúmeros povoados.7 Esses garimpeiros desiludidos com a busca infrutífera do vil metal, voltaram à agricultura como meio de sobrevivência.7 Mais tarde, com a escassez de mão de obra, esta mesma sociedade busca no escravagismo do negro africano, a solução de seus problemas.7

É neste contexto que surge o tropeirismo8 e a Estrada da Mata, que era apenas um trecho do histórico “Caminho de Sorocaba”, por onde era transportado o gado que saía de Viamão, no Rio Grande do Sul, até a feira de Sorocaba,9 principal centro comercial da época. A Estrada da Mata, que cortava os Campos Gerais do Paraná, e ía até os Campos de Lages,9 propiciou o estabelecimento de muitas propriedades agrícolas na região,9 onde hoje encontra o município de Mandirituba, muitas fazendas se desenvolveram, acompanhando os ciclos econômicos inerentes à sua época.

O período do extrativismo da madeira foi considerado um ciclo devastador no Estado do Paraná, no entanto de grande importância, por permitir a expansão das frentes colonizadoras.10 Depois da madeira se tornar um dos principais produtos de exportação, propiciou o início do ciclo agroindustrial no Estado.11

No ano de 1900 foi instalada uma serraria na localidade denominada Fazenda Rio Grande, dentro do território do município de São José dos Pinhais. A propriedade era da empresa Irmãos Bettega Ltda., que foram os responsáveis pela construção das duas primeiras casas comerciais e de uma escola. Mais casas foram sendo construídas e o lugar se desenvolveu.

Em 1909, o crescente lugarejo de Estrada de Mandirituba, foi elevado a Distrito Judiciário, no dia 17 de maio, pelo Decreto Estadual nº 243, simplificando sua denominação para Mandirituba.12 Nessa época seu território pertencia à Comarca de São José dos Pinhais.12

Pela Lei Estadual nº 4.245, de 25 de julho de 1960, Mandirituba foi elevada à categoria de município, desmembrando-se do município de São José dos Pinhais.12 Sua instalação oficial se deu em 15 de novembro de 1961, quando foram empossados seus representantes locais.12

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *