Ouça “História Hoje” 23/05: Há 24 anos, morria Manezinho Araújo, o rei da embolada

mane111

Manezinho Araújo é uma sobremesa muito apreciada em algumas regiões do país. É feita com três camadas de banana e creme.

Apresentação Carmen Lúcia

 

Humm!! Mas o quadro História Hoje não é para falar de sobremesas, certo?

 

Certíssimo!! O assunto, na verdade, é o cantor, compositor, jornalista e pintor que tem o mesmo nome dessa delícia de doce e ficou conhecido como o rei da embolada.

 

O pernambucano, Manuel Pereira de Araújo ou simplesmente Manezinho Araújo, nasceu em 1910 e passou a infância no boêmio bairro de Casa Amarela, em Recife.

 

Quando adolescente, conheceu Minona Carneiro, um grande cantador de embolada. Manezinho logo se apaixonou pelas músicas do mestre.

 

A embolada pra quem não sabe é parte integrante do folclore nordestino… É uma maneira bem-humorada para sair falando, por meio da música, de pessoas, fatos, histórias… O embolador sai contando as coisas como se fosse um cronista.

 

Mas como Manezinho Araújo se tornou o rei da embolada? No finalzinho da chamada revolução de 30, ele se alistou como soldado voluntário. E como prêmio por ter participado ganhou uma viagem de navio até o Rio de Janeiro. Viveu na capital por cerca de três anos, mas teve que voltar.

 

E na viagem de volta, quem Manezinho conhece em uma roda musical dentro do navio? Ninguém menos que Carmen Miranda e Almirante e o violinista Josué de Barros, que aliás prometeu ajudá-lo na divulgação de seu trabalho musical.

 

Três anos depois, Manezinho Araújo fez as malas e voltou para o Rio de Janeiro. E como prometeu, Josué levou Manezinho para se apresentar na Rádio Mayrink Veiga no programa do grande radialista Ademar Casé.

 

Em 1933, Manezinho gravou o primeiro disco e estourou com a música “Se eu fosse interventor”

 

Apesar do sucesso, Manezinho não estava feliz. Então, fez um show para cerca de 15 mil pessoas, no Rio de Janeiro, e com o dinheiro que ganhou abriu um restaurante: O Cabeça Chata.

 

Edith Piaf, Carmen Miranda, Vila lobos, Cacilda Beker e muitos outros consagrados passaram por lá.  Manezinho de Araújo, morreu em São Paulo, no dia 23 de maio de 1993.

 

Perái…Perái.. Mas e a sobremesa? O que ela tem a ver com toda essa história?? Simples…O nome foi dado pelo próprio Manezinho Araújo que a servia em seus restaurantes.

 

História Hoje: Programete sobre fatos históricos relacionados às datas do calendário. Vai ao ar pela Rádio Brasil Cultura de segunda a sexta-feira

 

    Author: Brasil Cultura

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *