BNDES vai investir R$14 milhões em produções de audiovisual

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai investir R$  14 milhões em 16 produções nacionais. O valor foi anunciado dia (27) junto com o edital do banco para a seleção de projetos cinematográficos de 2013. Desde 1995, quando foi lançado, 384 filmes nacionais foram contemplados com R$ 159 milhões. De acordo com o edital, os recursos serão liberados para seis produções de ficção, seis documentários, duas animações e dois projetos de finalização.

A chefe do Departamento de Cultura, Entretenimento e Turismo do BNDES, Luciane Gorgulho, explicou que a categoria de ficção terá dois grupos. No primeiro, dois projetos voltados a produções com maior potencial de público receberão R$ 1,5 milhão cada. O segundo, destinado a projetos para reforçar o cinema nacional no Brasil e no exterior e as disputas de prêmios, contará com R$ 1 milhão por produção.
Para os documentários, o BNDES definiu R$ 500 mil para cada projeto. Já os de finalização receberão R$ 500 mil por produção. Os dois longas de animação também contarão com R$ 1,5 milhão cada um.
Luciane Gorgulho lembrou que entre as produções já contempladas pelo banco, várias tiveram carreira de sucesso. Uma delas é Uma História de Amor e Fúria que está disputando uma indicação ao Oscar 2013 com 18 filmes da Categoria Animação.
O longa dirigido por Luiz Bolognesi recebeu R$ 450 mil no edital BNDES de Cinema 2009.
”É um segmento que o BNDES vem apostando não só na área de cinema como na área de TV, mas como um setor que tem uma grande importância para reforçar a marca brasileira para criar personagens e a propriedade intelectual brasileira”, disse.

 

As inscrições ficarão abertas até o dia 31 de janeiro de 2014 e os
interessados terão que indicar, no momento da inscrição, o tipo de projeto a que
pretende concorrer. As produções precisam protocolar os pedidos na Agência
Nacional do Cinema (Ancine), sem ser necessária, no entanto, a aprovação final
do Sistema de Acompanhamento das Leis de Incentivo a Cultura (Salic). Os
concorrentes da Categoria Ficção do Grupo 1 e os de finalização, terão que
apresentar contrato de distribuição já assinado. Cada produtora poderá
apresentar até três propostas.

 

O diretor da Área Industrial e Mercado de Capitais do banco, Julio Raimundo
disse que desde 1990 o BNDES tem apoiado o cinema nacional e já faz história no
setor de audiovisual. “Começamos a tratar o setor de audiovisual como política
de desenvolvimento”, disse.

 

Julio Raimundo informou ainda que os investimentos do BNDES se estendem
também à criação de salas de cinema. Hoje o banco anunciou a aprovação de
financiamento de R$ 16,8 milhões para a construção de 14 salas em Alagoas, todas
com sistema de projeção 3D e quatro no Rio Grande do Sul, duas com 3D.

 

O presidente da Academia Brasileira de Cinema, Roberto Farias, presente no
anúncio do edital 2013, destacou que os investimentos da instituição já estão
rendendo resultados. “Esse programa do BNDES de incentivo e de financiamento às
novas salas é muito bem-vindo porque é muito importante aumentar o mercado”,
disse.

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *