O último caderno de Saramago

A tradutora e jornalista, Pilar del Río, que foi casada com Saramago, encontra textos inéditos redigidos no ano em que ele recebeu o Nobel. O ano de 1998 começou em Lanzarote com uma tempestade noturna que arrancou as duas oliveiras que José Saramago tinha em sua casinha branca. O escritor terminou dezembro reclinado numa filial da loja de departamentos El Corte Inglés, em Madri, procurando um par de meias. A casual descoberta do...

Leia mais
João Guimarães Rosa: Homem Humano
jun30

João Guimarães Rosa: Homem Humano

Êh! Fácil não é, nunca foi. Fosse pra ser fácil não valia a pena. Pra ler o mestre Rosa é preciso paciência, tomar gosto devagarinho, ir aprendendo a gostar de pouco em pouco, até quando, sem nem perceber, a gente já tá ali gostando de verdade, não parando mais de acompanhar o mestre.   Por Joan Edesson de Oliveira* Ilustração: Tainan Rocha Liso do Sussuarão – Ilustração: Tainan Rocha Liso do Sussuarão – Ilustração:...

Leia mais
São João, a festa completa
jun23

São João, a festa completa

Amanhã é São João dentro das festividades dos três santos, Antônio , João e Pedro. Santo Antônio, o casamenteiro, abre os festejos homenageando o amor. São Pedro fecha as comemorações celebrando a chuva. Já São João é o grande astro das festas juninas.   Por Diego Santos*   Alfredo Volpi (1958) Bandeiras (1958), de Alfredo Volpi Bandeiras (1958), de Alfredo Volpi A festa de São João é , na minha opinião, a comemoração mais...

Leia mais
Educador negro lapidou Rui Barbosa e Euclides da Cunha
maio30

Educador negro lapidou Rui Barbosa e Euclides da Cunha

Ernesto Carneiro Ribeiro foi o único estudante negro na sua turma na Faculdade de Medicina da Bahia. Em 1864, ainda faltavam décadas para o fim da escravidão no Brasil. Se, como aluno, desde o magistério o rapaz não tinha companheiros de sua cor na sala de aula, que dirá quando assumiu a cadeira de professor. Em 1874, fundou o Colégio da Bahia. Depois, aos 45 anos, o Colégio Ernesto Carneiro Ribeiro, que dirigiu por três décadas, até...

Leia mais
Escrever para quem?
maio26

Escrever para quem?

Escrever um livro é atravessar um extenso deserto. Durante a escrita, temos a impressão de que depois do ponto final nos espera um oásis com tâmaras e fonte de água fresca. Engano. Há um deserto ainda mais árido por vencer. E sem as miragens da criação.   Por Ronaldo Correia de Brito* Divulgação William Faulkner referia um nervosismo atento, para que os personagens que passavam ligeiros por ele, não fossem embora sem registro...

Leia mais
Os negros como protagonistas na literatura num país de maioria negra
maio26

Os negros como protagonistas na literatura num país de maioria negra

Em meados de 2013, Vagner Amaro emperrou na tarefa de montar um acervo de literatura contemporânea de autoria negra na biblioteca em que trabalhava: encontrava-se pouca coisa e com dificuldade no circuito comercial de livrarias e editoras. Passados alguns anos, em 2015, descobriu que a autora recém premiada com o prestigiado Jabuti pelo livro de contos Olhos D’Água, Conceição Evaristo, tinha grande parte da sua produção fora das...

Leia mais