Novo prédio do Museu de Arte Contemporânea de São Paulo

Um dos maiores acervos de arte da América Latina ganhou nova sede no último dia 28 de janeiro, quando o Museu de Arte Contemporânea (MAC USP) passou a ocupar o Palácio da Agricultura (antiga sede do Detran), que foi restaurado e adequado pelo Governo do Estado de São Paulo, em um investimento de cerca de R$ 76 milhões. Projetado originalmente por Oscar Niemeyer, o prédio está totalmente adaptado para receber as obras de arte, com 23 mil m² de área expositiva. O espaço atende a necessidade do MAC de ter uma sede maior, já que até então menos de 5% do acervo do museu podia ser exposto.

Para marcar a abertura da nova sede, o museu abriu a mostra O Tridimensional no Acervo do MAC: Uma Antologia, com 17 obras que ajudam a compreender a complexidade da arte entre os anos 1940 e o final dos anos 1990.

“O MAC USP está agora em um espaço compatível com a importância do seu acervo e da sua história”, diz o Secretário de Estado da Cultura, Andrea Matarazzo. “Além disso, integra o polo cultural da região do Ibirapuera, que já conta com outros museus projetados por Niemeyer, como a Oca, o Museu de Arte Moderna e o Museu Afro Brasil.”

A reforma no prédio começou em dezembro de 2008. Foram executadas obras nas instalações elétricas e hidráulicas, de ar condicionado, modernização dos elevadores e instalações dos brises (quebra-sóis). Também foram construídas paredes expositivas e duas torres para escadas de segurança e de serviço. Além disso, foram refeitos o piso e a cobertura do prédio principal. O edifício manteve as linhas traçadas por Niemeyer e, ao mesmo tempo, é um museu inteiramente acessível e equipado com o que há de mais moderno em termos de tecnologia.

O prédio principal tem o térreo destinado à recepção e às áreas de circulação e no mezanino, cafeteria. No 1º andar, há um auditório para 152 pessoas, salas multimídia e biblioteca. A área expositiva do museu ocupa do 2º ao 7º andar, além de áreas no térreo e no mezanino. No oitavo e último andar fica o espaço do restaurante, que oferece uma vista panorâmica do Parque do Ibirapuera. Além do prédio principal, o anexo já existente, com 3.271 m², foi restaurado e adaptado para também receber exposições. Também foram construídos dois outros prédios anexos, um para reserva técnica e administração e outro para abrigar equipamentos, como geradores e ar condicionado.

 

O prédio

Originalmente projetado por Oscar Niemeyer para abrigar o Palácio da Agricultura, o edifício foi inaugurado em 1954; em 1959, passou a ser ocupado pelo Detran (Departamento Estadual de Trânsito). O projeto básico de readequação para abrigar o MAC é da CPOS (Companhia Paulista de Obras e Serviços), e o projeto executivo é da construtora Simétrica, sob o comando do escritório Borelli e Merivo. É tombado pelo Conpresp e também é protegido pelo Condephaat (integra a área envoltória do Instituto Biológico) e pelo Iphan (que, no momento, realiza estudo de tombamento).

 

O MAC USP

Um dos mais importantes museus de arte moderna e contemporânea da América Latina, o MAC USP foi criado em 1963, quando a Universidade recebeu de Francisco Matarazzo Sobrinho, então presidente do Museu de Arte Moderna de São Paulo, o acervo do MAM, além de sua coleção particular. Hoje o acervo do Museu possui cerca de 10 mil obras, entre pinturas, desenhos, gravuras, fotografias, esculturas, objetos e obras de arte conceitual e arte contemporânea. A relação de artistas inclui Picasso, Matisse, Miró, Kandinsky, Modigliani, Calder, Braque, Henry Moore, Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Volpi, Flávio de Carvalho, Julio Plaza, Antonio Dias e Regina Silveira, entre tantos outros.

Ligado à pesquisa universitária, o MAC-USP procura tornar seu acervo acessível a todos os públicos, oferecendo exposições com os mais variados recortes e amplas possibilidades de percursos e leituras pela arte moderna e contemporânea. O museu realiza também exposições com obras de artistas brasileiros e estrangeiros, novos e consagrados, que não pertencem ao seu acervo.

A exposição

No domingo, 29 de janeiro, dia seguinte ao evento de inauguração, o MAC abriu para o público a mostra O Tridimensional no Acervo do MAC: uma Antologia. Apresentando alguns dados e sublinhando parâmetros que ajudam a compreender a complexidade da arte entre os anos 1940 e o final dos anos 1990, a exposição dá o tom de como o MAC USP pretende propor a série de mostras que, no decorrer dos próximos meses, complementará a implantação do Museu neste novo espaço.

A implantação gradual permitirá equipar o museu dentro das normas museográficas e, ao mesmo tempo, levará ao público a mensagem de que a inauguração de mais uma sede para um museu não deve ser encarada apenas como um evento da agenda artística e cultural da cidade. Por meio dos estudos que realiza em seus acervos de obras e documentos, o MAC USP desenvolve trabalhos para a ampliação do conhecimento, e suas exposições – que passam a ser apresentadas também nesse novo espaço – deverão intensificar o compromisso do museu com a necessidade de estender o conhecimento por ele produzido para um público mais amplo.

A exposição apresenta trabalhos dos artistas Frida Baranek, Eduardo Climachauska e Paulo Climachauska, Sérvulo Esmeraldo, Carlos Fajardo, Carmela Gross, Liuba Wolf, Maria Martins, Cildo Meireles, Henry Moore, Ernesto Neto, Gustavo Rezende, Chihiro Shimotani, François Stahly, Sofu Teshigahara, Ângelo Venosa, Franz Weissmann e Haruhiko Yasuda.

 

 

Funcionamento: Terça a domingo, das 10 às 18 horas

Local: MAC USP – Avenida Pedro Álvares Cabral, 1301

Telefone: (11) 5573-9932

Entrada gratuita

www.mac.usp.br

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *