JUSTAPOSIÇÃO POLAR

justaposicao-polarCENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL, DE 07 DE JULHO A 23 DE AGOSTO DE 2009

Realizada pelo Centro Cultural Banco do Brasil, nova exposição de Elder Rocha, apresenta pinturas, desenhos e instalação

Os traços incidem sobre imagens apropriadas, retrabalhando-as. Criam novos significados. Cores e formas cortam a imagem, deslocando-a, fazendo-a perder sua identidade original. E o espectador enxerga o que antes não havia visto. Esta multiplicidade de sentidos é uma das marcas do trabalho do artista plástico Elder Rocha, que expõe, de 07 de julho a 23 de agosto, na Galeria 2 do Centro Cultural Banco do Brasil. Em JUSTAPOSIÇÃO POLAR estão as mais recentes obras deste artista de trajetória consistente e reconhecida no Brasil.

JUSTAPOSIÇÃO POLAR é uma espécie de síntese de 20 anos de trabalho e reúne pinturas, desenhos e instalação inéditos. Sob curadoria da jornalista e mestre em Comunicação Cristiana Tejo, a mostra integra doze pinturas sobre tela, 9 pinturas sobre papel, 44 desenhos e uma pintura-instalação realizada diretamente sobre a parede da galeria.

Na mostra, o artista promove o diálogo entre a pintura e o desenho. Segundo explica a curador, “há o desenho-desenho, o desenho-pictórico e a pintura-desenho. São pólos que transbordam e se invadem”. Elder Rocha elege imagens de livros antigos, facilmente identificadas e associadas a uma certa nostalgia. “A escolha curatorial privilegiou obras em que a cor emerge reverenciada, destacada do branco e preto predominante e característico do universo gráfico”.

Elder Rocha é um artista celebrado por realizar um trabalho singular: ele intervém sobre formas habituais e reconhecíveis e opera mudanças que lançam o espectador num jogo de estranhamento. O artista procura, em sua obra, perturbar as formas habituais de associação de significados das imagens através de categorias preestabelecidas, atuando com superposições em imagens colhidas através de processo de seleção emocional e intuitivo. Desta forma, ele envolve o espectador num jogo de construção e desconstrução de conceitos.

O ARTISTA

Elder Rocha Filho nasceu em Goiânia em 1961, estudou Artes Visuais na Universidade de Brasília e fez mestrado em pintura no Chelsea College of Art em Londres, uma das mais conceituadas escolas de arte da Inglaterra. O artista mora em Brasília desde 1971, onde trabalha também como professor do Departamento de Artes Visuais da Universidade de Brasília.

O artista tem apresentado seu trabalho regularmente desde 1981, em várias exposições individuais e importantes coletivas como Panorama da Arte Brasileira, MAM SP, Rio Arte Contemporânea, MAM RJ, Gentil Reversão, CCBB DF, Projeto Brasil Reflexão 97, PR, e BR 80-Pintura Brasil Década 80, Instituto Cultural Itaú. Dentre as individuais mais recentes, destacam-se Paisagens Instáveis, ECCO, Brasília, 2007; A TV Ligou só e Imagens Compostas, UNB, 2007; A TV Ligou só, Fund. Jaime Câmara, Goiânia, 2006; Turbulência da Memória, Fundaj, Recife, 2004; e Elder Rocha, Casa da Ribeira, Natal, 2003.

Elder Rocha tem seus trabalhos em coleções públicas relevantes do Brasil como Funarte RJ, MASC, MAB DF, MAC-GO, FUNDAJ, PE, e MARCO, SC, e também no exterior, como a CCBA, de Lima, no Peru. Recebeu prêmios de aquisição no Prêmio Brasília de Artes Visuais em 1998, IX Salão Nacional de Artes Plásticas, RJ, em 1986, e Salão de Artes Plásticas do DF, em 1991.

CURADORIA – O trabalho de curadoria tem a assinatura de Cristiana Tejo, jornalista e mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco. Ex-Diretora do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães-PE, foi Coordenadora de Artes Plásticas da Fundação Joaquim Nabuco, de 2002 a 2006, curadora do Programa Itaú Rumos Artes Visuais 2005-6, dos 46º e 47º Salões de Artes Plásticas de Pernambuco e do Espaço Cultural Torre de Malakoff 2004-6. Atuou ainda como co-curadora com Agnaldo Farias de Futuro do Presente, Itaú Cultural-SP. Participou de comissões de Seleção e Premiação de Salões e projetos, entre elas: Membro do Conselho de Políticas Culturais da Prefeitura do Recife; Júri de Seleção e de Premiação do Salão de Abril, Fortaleza – 2007; Júri de Premiação do Salão de Arte Pará, 2007; do Salão da Bahia MAM BA, 2007; do Prêmio CNI-SESI Marcantônio Vilaça, 2006; do Salão Paranaense de Arte, 2005; Júri de Seleção do Salão de Arte de Goiás, 2006.

A produção é da Bloco A – Arte e Projeto, dirigida pelos artistas plásticos e produtores culturais Gustavo Magalhães e Daniella Estrela. Junto com a Lumen Argo, a empresa trabalhou nos projetos de produção e montagem de exposições como Mimmo Paladino e Arte para Crianças, ambas realizadas pelo Centro Cultural Banco do Brasil em Brasília.

JUSTAPOSIÇÃO POLAR – ELDER ROCHA

Local: Galeria 2 – Centro Cultural Banco do Brasil – Brasília

Data: 07 de julho a 23 de agosto de 2009

Horário: de terça a domingo, das 9h às 21h

ENTRADA FRANCA

    Author: Redação

    Share This Post On