Classicismo

 

Costuma-se associar o termo, na história da arte ocidental, a uma arte ligada aos valores de harmonia e equilíbrio do mundo grego (em especial entre os períodos arcaico e o helenístico) e do romano. Entretanto, seu sentido não está necessariamente ligado a esse conceito. Apesar de utilizado em várias épocas da história da arte, o seu significado mais geral refere-se a uma oposição ao Romantismo, defendendo certos princípios estéticos e regras artísticas definidas, em contraposição a uma arte subjetiva, mais livre e individual. Normalmente é utilizado de forma bastante confusa e compreendendo vários sentidos. Um exemplo disso é seu uso na oposição de períodos na história da arte, expressando uma concordância com a idéia de superioridade da arte grega e romana sobre as demais e sua influência nas gerações futuras. Pode ainda somente referir-se a essa arte desenvolvida no mundo antigo, sem contudo expressar nenhum juízo de valor. A arte renascentista e a setecentista (arcadismo), chegaram a ser definidas com essa denominação, uma vez que, para seus idealizadores, “retomavam” os princípios “clássicos” (novamente Grécia e Roma antiga). Nesses períodos, entretanto, não pode ser vista uma volta estrita aos padrões antigos, e sim uma adaptação de alguns daqueles valores às condições e cultura da própria época em que estava se produzindo a obra artística. Termos como arquitetura clássica, por exemplo, foram usados em oposição à praticada na Idade Média, fundamentalmente o estilo gótico, desprezado pelos renascentistas. Procura se inspirar nas formas atingidas pelo mundo antigo (vistas principalmente na Itália, através das construções remanescentes do mundo romano). É um conceito tão amplo, que pode incluir desde obras realizadas no século XV às do século XIX. Já a designação “beleza clássica”, na história da arte ocidental, normalmente refere-se a um tipo físico que transcende as imperfeições vistas nas “pessoas comuns”, com traços de beleza cultuadas na antiga Grécia e Roma e proporções corporais perfeitas. O livro A Arte Clássica, versando sobre a alta Renascença Italiana, do historiador de arte suíço Wölfflin, pode ser um bom exemplo do termo “clássico”, utilizado para designar o período áureo de um movimento. O termo classicismo costuma ser, portanto, também utilizado para designar uma amostra ou época bastante significativa de um período, ou a que tem os melhores resultados obtidos naquele período determinado.

Autoria: Hilda Chaves Boettcher

    Author: Redação

    Share This Post On