“A Invasão” de Dias Gomes em SP

Com direção de Antonio Netto e texto de Dias Gomes, a Cia. das Artes, sucesso do espetáculo “A Invasão”, no Teatro Coletivo (Rua da Consolação, 1623). A obra foi encenada pela primeira vez em outubro de 1962 e é baseada em fatos reais.

Texto dos mais polêmicos das obras de Dias Gomes, A Invasão estreou em 1962, sendo proibido pelo AI-5 seis anos depois, ficando engavetado até 1978. O espetáculo um drama intenso e amargo. O autor investiga causas e consequências dos nossos problemas sociais numa linguagem despojada e contundente e aponta soluções drásticas num país onde impera a desigualdade social e vive de politicagem.

INFORMAÇÕES

Temporada: até 02 de novembro de 2012

Horários: Quintas e Sextas às 21h

 Ingressos: R$ 40,00 (inteira), R$ 20,00 (meia) e R$ 15 (antecipado)

 A bilheteria será aberta uma hora antes do espetáculo.

Classificação etária: 12 anos 

Duração: 80 minutos

LOCAL – Teatro Coletivo (Lotação: 134 lugares )

 Rua da Consolação, 1623 – Sala 1 – Estacionamento conveniado

 Telefone: 3255-5922 (informações) e 2729-3098 (reservas)

 O espetáculo

Integrantes do elenco realizaram um processo de imersão para ajudar na composição dos personagens: eles visitaram prédios ocupados por sem-teto no centro da cidade de São Paulo e viram de perto a situação das famílias que ocupam estes imóveis. Em uma dessas construções, 150 pessoas moram de forma precária, com iluminação conseguida à base de “gatos” e um único banheiro para todos os moradores. Antes da ocupação, o prédio estava infestado de pulgas e era utilizado como abrigo para moradores de rua e ponto de consumo e tráfico de drogas. “Moradores de prédios vizinhos classificavam o prédio como uma verdadeira cracolândia vertical”, explica um dos atores.

A marca registrada de Dias Gomes pode ser percebida já a partir da concepção do espetáculo. É dividida em cinco quadros e um ato, uma característica muito peculiar do autor em seus textos teatrais. “Ele escrevia desta forma porque gostava de explicar com minúcia a narrativa ao espectador. Isso é algo que ele trouxe de sua atividade como autor de novelas”, explica o diretor Antonio Netto. Segundo o diretor, a cenografia de A Invasão é composta por barras de ferro, que, de forma eclética, podem se transformar em andares de um prédio em construção, casas ou varais.

A peça é uma espécie de crônica ao Brasil depois de 1964. Dias Gomes quer alertar o povo da necessidade de ser independente. Seu teatro não busca divertir os burgueses. Compõe um painel da vida dos segmentos excluídos da sociedade, com seus sofrimentos e lutas, com a presença constante da opressão e o difícil processo de tomada de consciência de suas próprias condições. É um teatro de revolta, de amargura.

Um pouco da história da Favela do Esqueleto

O esqueleto era um prédio destinado a ser um grande hospital, mas as obras foram abandonadas na década de 30. Toda a área foi invadida, se tornando uma grande favela, que não só ocupava a estrutura, como todo o terreno. Por décadas aquela região ficou abandonada, mesmo depois da construção do estádio do Maracanã. A solução veio no governo de Carlos Lacerda onde a população foi removida. Anos depois, o prédio deu lugar a UERJ, que permanece no local até os dias de hoje.

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *