Bem do Brasil

exposicao bem brasilDiversidade cultural brasileira em exposição no Palácio do Planalto. Essa é uma exposição digna de reinaugurar o Palácio do Planalto porque expressa o pensamento do governo brasileiro na criação de políticas públicas, em especial das políticas de gestão do patrimônio cultural, já que as peças revelam a singularidade e proporcionam a compreensão da diversidade cultural no Brasil”. Com essas palavras, o presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, Luiz Fernando de Almeida, abriu a exposição Bem do Brasil, Patrimônio Histórico Brasileiro, no Saguão Térreo do Palácio do Planalto em Brasília. A mostra fica aberta à visitação até o dia 15 de novembro, de segunda a sexta-feira, das 10 às 18h e aos sábados e domingos, das 12 às 17h. Já o diretor do Paço Imperial, no Rio de Janeiro, e curador da exposição, Lauro Cavalcanti, destacou que um dos objetivos da exposição é eliminar a valorização e a hierarquização da produção artística e cultural. “Não importa se a peça é de um artista renomado ou de um artesão do interior do país. Tudo é Bem do Brasil”, ressalta

São 150 obras que retratam as múltiplas expressões materiais e simbólicas das bases da identidade nacional. A exposição Bem do Brasil, Patrimônio Histórico Brasileiro, foi concebida sob o desafio de levar os visitantes a apreender os significados, a refletir, compartilhar e valorizar a diversidade dos acervos culturais, das artes sacras à cultura popular e erudita do país. Compõem os cenários da religiosidade do Brasil e seu Imaginário – ponto de partida da exposição – castiçais, oratórios mineiros e baianos, imagens de reis, santas e santos de igrejas de Pernambuco e de Sergipe, esculturas das Missões Jesuíticas no Rio Grande do Sul, ex-votos de romeiros do Ceará e cajados de Pai de Santo.

A arte ganha vida e cores em Bem do Brasil, Patrimônio Histórico Brasileiro nas cerâmicas indígenas do Espírito Santo, nas carrancas do Velho Chico, na Cabeça Boi Tinga do Pará, nas máscaras de Cavalhada de Goiás e bonecos do Jequitinhonha ou nos instrumentos do Tambor de Crioula do Maranhão, do Tambor de Jongo do Rio de Janeiro e da Viola de Cocho do Mato Grosso. Expressões que revelam saberes e fazeres, desvendados pela exposição por meio de formas de madeira para fazer a rapadura da cana-de-açúcar, alambiques de cobre para destilar a cachaça ou prensas de madeira para moldar o queijo.

As obras de Taunay, Djanira, Guignard, Di Cavalcanti, Segall, Athos Bulcão e Mestre Valentim emprestam, por fim, a força de sua criatividade à exposição, cuja pretensão é a de oferecer ao público novos olhares e abordagens sobre a diversidade do patrimônio brasileiro, tendo como fio condutor a evolução das políticas de proteção nas últimas sete décadas.

Com este singular enredo a exposição Bem do Brasil, Patrimônio Histórico Brasileiro, organizada pelo Centro Cultural do Iphan do Paço Imperial, em colaboração com o Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, é uma aposta inovadora e um tributo à genialidade de brasileiros que vêm construindo, ao longo dos séculos, a riqueza do patrimônio histórico e artístico nacional. Realizado pelo Iphan e pelo Ministério da Cultura, a exposição tem o patrocínio do BNDES. Ao deixar Brasília, a exposição irá para o Paço Imperial, acrescida de novas obras e utilizando meios contemporâneos de grafismo, tecnologia de imagem.

Serviço
Exposição Bem do Brasil
Local: Palácio do Planalto, Brasília
Abertura: 18h30 do dia 30 de setembro
Visitação: De 30 de setembro a 15 de novembro
                 Segunda a sexta-feira, das 10 às 18h
                 Sábados e domingos, das 12 às 17h

 

Mais informações
Assessoria de Comunicação Iphan
Adélia Soares – adelia.soares@iphan.gov.br
Daniel Hora – daniel.hora@iphan.gov.br
Mécia Menescal – mecia.menescal@iphan.gov.br
(61) 2024-6187 / 2024-6194
(61) 9972-0050
www.iphan.gov.br

www.twitter.com/IphanGovBr

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *