Fotos inéditas de candomblé no Arquivo Franciscano

Cerca de 200 fotografias inéditas do candomblé baiano, com  habitantes de comunidades negras, além de imagens de alimentos e indumentárias  do culto afro integram o acervo do  projeto Resgate Documental da Província Franciscana de Santo Antônio do Nordeste do Brasil, realizado pelo  Arquivo Provincial Franciscano, em Recife, Pernambuco.

O curioso é que as fotos  foram feitas pelo frei  alemão Thomás Kockmeyer, entre os anos de 1930 e 1940, o  que demonstra,  em época de  tanta intolerância religiosa, que sempre há espaço para respeito às diferenças. O projeto, de fôlego, pretende  recuperar  parte importante da história da ordem franciscana da Igreja Católica do Brasil.

“Ao todo, estão sendo recuperados documentos de 42 localidades diferentes, entre igrejas, conventos e casas franciscanas de  sete estados da região Nordeste, mais o Pará”, informa a a coordenadora do projeto Resgate Documental da Província Franciscana de Santo Antônio do Brasil, a restauradora Débora Mendes.

Tesouro

“Estas fotos têm grande importância histórica, cultural e antropológica  não só para a Bahia, mas para o país . É um verdadeiro  tesouro .  Cada foto é um texto, que instiga uma investigação”, complementa o  antropólogo Raul Lody, curador da Fundação Pierre Verger,  na Bahia, que foi convidado  também para integrar o projeto.

As fotos, que  foram encontradas no Arquivo,  em uma pequena caixa com os dizeres Candomblé – Fotografias de Frei Thomás Kockmeyer  em sua tampa, medem  5×7 cm. Elas registram atos do cotidiano de um candomblé, com  manifestações religiosas típicas de matriz africana.

Lody afirma que tem convicção que as fotos foram  feitas em locais do Recôncavo Baiano. O estudioso, responsável por vários estudos na área das religiões afro-brasileiras, sobretudo na Bahia,  chama a atenção pelas fotografias não se prenderem  ao exótico, ao caráter sensacionalista.

“São fotos que surpreendem  pela qualidade, diversidade do olhar e importância documental”, frisa o antropólogo, autor de vários livros.

Patrocínio

“Neste momento, nossa equipe técnica está trabalhando na identificação (com relação à origem, língua em que foi escrito e assunto), higienização e catalogação de todo este material. Desta forma, os documentos estarão disponíveis a estudiosos que poderão realizar pesquisas mais aprofundadas sobre estes arquivos”, salienta Débora Mendes.

Ela informa que  o projeto Resgate Documental da Província Franciscana de Santo Antônio do Nordeste do Brasil tem patrocíno da Petrobras  (edital Cultural, de 2012) no valor de R$ 640 mil.

O coordenador de Patrimônio da Província Franciscana, frei Roberto Soares, motivado pelas viagens a vários conventos e em contato com  raridades históricas –  manuscritos impressos e iconográficos cartas papais, documentos avulsos, livros, etc – teve a ideia de reuni-las em um só local.

 

 

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *