Festas juninas movimentam economias locais

oiiii-201662417334896736

Apesar de a crise econômica obrigar várias prefeituras a cancelarem ou reduzirem festas, municípios brasileiros devem ter impacto positivo, conforme estimativas de federações de comércio dos estados.

 

Por Marciele Brum, do PCdoB na Câmara

 

Introduzidas no Brasil pelos portugueses no século XVI, as festas juninas resgatam tradições e garantem valorização a distintas regiões. Enraizadas no Nordeste onde marcam fortemente a cultura, mais do que trazer alegria, movimentam a economia local com geração de emprego e renda em um momento de crise econômica no país.

 

Nos estados nordestinos, milhares de turistas acompanham os concursos para eleger os melhores grupos que dançam a quadrilha. Brincadeiras como o pau de sebo, correio elegante e fogos de artifício também viraram símbolos característicos. “Tem importância enorme na economia cultural. Leva muitos turistas. O Nordeste para e reverencia suas tradições culturais. Mesmo com a crise, a cultura é forte e permanece,” resume a deputada Alice Portugal (PCdoB-BA).

 

Fogueiras, bandeirinhas coloridas, jogos e comidas típicas estimulam a economia nas cidades onde se realizam as comemorações em diferentes partes do território brasileiro. “O São João é a festa mais prestigiada do Nordeste. Junho é um mês de grande mobilização que agrega famílias e todo o povo nordestino. É uma festa que ocorre nas grandes cidades, nos bairros e povoados. Apesar da crise, é uma excelente oportunidade de vencer dificuldades com alegria,” destaca o líder do PCdoB na Câmara, deputado Daniel Almeida (BA).

 

Em Belo Horizonte, por exemplo, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Minas Gerais (Fecomércio – MG) estima que as festas juninas deste ano irão gerar um impacto positivo para 40% das empresas do comércio varejista de produtos alimentícios. O saldo positivo ocorre, principalmente, em hipermercados, supermercados, minimercados, padarias e armazéns. Mesmo que em menor escala, a data beneficia também a venda de produtos de padaria, laticínio, doces, balas, hortifrutigranjeiros, açougue, peixarias e bebidas.

 

Com o tempo, as festividades passaram a ser uma celebração tradicional da Igreja Católica onde são homenageados três santos. No dia 13, a festa é para Santo Antônio. No dia 24, é dia de São João. Já no dia 29, o homenageado é São Pedro. “É um momento em que as raízes culturais são elevadas, mexem com o sentimento nordestino em todos os estados. São João traz os valores da solidariedade,” diz Alice Portugal.

 

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *