edital ProAC – CULTURAS INDÍGENAS – SP

indigena

Membros de comunidades indígenas de diversas etnias têm participado de oficinas que a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo ofereceu nas últimas semanas para orientar a inscrição de projetos no edital ProAC – CULTURAS INDÍGENAS.  A partir deste ano, as inscrições são realizadas 100% via internet e o prazo encerra no próximo dia 14 de julho.

As oficinas são realizadas por meio da Unidade de Fomento à Cultura e Economia Criativa/UFEC., da Secretaria. Segundo Maurício Fonseca, indigenista e  técnico do ProaC Editais, nesses encontros as lideranças indígenas têm informações sobre o conteúdo do edital e o uso do sistema ProAC.

“Nosso objetivo é falar sobre a distribuição dos prêmios nas regiões étnicas do Estado onde estão localizadas as comunidades indígenas e orientar as lideranças quanto à forma de preenchimento de itens do projeto como objetivo, cronograma, definição de orçamento, justifcativas e documentos necessários, além de como utilizar as ferramentas online, pois todo o conteúdo, incluindo os documentos, deve ser enviado pelo sistema ProAC Editais, com os anexos salvos em PDF”, explica Fonseca.

O último treinamento ocorreu na Capital, no último dia 10, na sede dos Conselhos de Cidadania no Estado de São Paulo, para comunidades não-aldeadas (residentes na região da Grande São Paulo). Entre os participantes, Clarice Silva, 29 anos, da etnia Pankararu, de Pernambuco, residente em São Paulo há 15 anos, no bairro do Real Parque. Clarice, que atua como secretária na Associação Pankararu, tem como objetivo esclarecer dúvidas sobre o edital para repassar informações a sua comunidade.

Renato Angelo Pereira, 73 anos, e sua irmã Alaíde Feitosa, 65, da etnia Pankararé, da Bahia, que residem em Osasco, pretendem apresentar projetos no concurso deste ano. Participaram ainda Ivone Conceição, da etnia Pankararu, e Rovésio Tenório Santos, da etnia Kariri-Xocó, de Alagoas, cuja comunidade reside na região do Jaçanã, na zona Norte da Capital.

Terra Takuari
Antes da oficina sobre o ProAC em São Paulo, a Secretaria da Cultura promoveu outra, no dia 8, na Terra Indígena Takuari, do povo Guarani Mbya, no município de Eldorado, no Vale do Ribeira. Participaram o cacique da tribo, lideranças da comunidade e professores indígenas.

“As principais dificuldades da comunidade são relacionados ao acesso à internet e ao manejo do computador. O acesso existe, mas é precário”, conta o técnico Maurício Fonseca. “O manejo das ferramentas necessárias à navegação e, especificamente, ao manejo de nosso sistema pressupõe prática e é este o principal desafio deles”. Como resultado final da reunião, as lideranças definiram duas linhas de projeto para o ProAC.

Data: 11/07/2017

    Author: Brasil Cultura

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *