Ditadura da Guiné Equatorial ajuda a Campeã Beija-Flor

Em meio a grande polemica Beija-Flor é a campeã do Carnaval carioca de 2015. Oxigenada por uma fortuna da ditadura da Guiné Equatorial, obscuro país da África Ocidental (fala-se em R$ 10 milhões), a escola mostrou a habitual opulência, com carros alegóricos impressionantes pelas dimensões e perfeição.

A escola de samba faturou seu 13º título no Carnaval carioca. Em disputa acirrada, Salgueiro ficou em segundo lugar e Unidos da Tijuca foi a terceira escola mais pontuada .

Além da Beija-Flor, no desfile das campeães, sábado, irão se apresentar Salgueiro, Grande Rio, Unidos da Tijuca, Portela e Imperatriz. A Viradouro, última colocada, cai para a Série A.

A Beija-Flor desfilou financiada pelo ditador considerado o mais sanguinário do mundo. A Guiné Equatorial presencia há mais de 30 anos uma das mais cruéis ditaduras do mundo, sendo um dos países mais pobres do continente africano. Muitos torcedores e admiradoes vão comemorar o carnaval e o campeonato da Beija-Flor com entusiasmo e alegria, porém sem ter conhecimento de que a maioria do povo da Guiné Equatorial sobrevive com menos de 1 dólar por dia. O luxo da Beija-Flor neste ano poderia ser investido em políticas sociais para este povo sofredor.

 

 

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *