CARNAVAL RJ – As Escolas de Samba

histcarrioNas primeiras décadas do século XX, o quadro de manifestações do carnaval de rua do Rio de Janeiro estava formado.

As grandes sociedades desfilavam seus enredos de crítica social e política apresentadas ao som de óperas, ornamentadas por luxuosas fantasias em cima de enfeitados carros alegóricos.

Os ranchos passaram ao som de sua marcha característica e os blocos carnavalescos servindo como diversão às camadas mais pobres da sociedade, que habitavam os morros e subúrbios cariocas formaram os ingredientes necessários para a formação das escolas.

O surgimento das escolas de samba veio desorganizar essas distinções.

Através de uma rápida ascensão na vida cultural da cidade, que culminou, em parte, com a decadência e o gradual desaparecimento do carnaval de rua carioca, as escolas de samba tornaram-se o destaque maior dos dias de reinado de Momo, interligando diferentes camadas sociais em seus dias de desfile.

 As escolas sambas, nascidas nos morros e subúrbios cariocas, ocupam hoje com o seu desfile o lugar de “maior espetáculo” (do carnaval do Rio de Janeiro e do Brasil).

As escolas de samba surgiram por volta de 1920, período histórico no qual cada camada social tinha uma forma particular de brincar o carnaval.

O núcleo social de formação das escolas de samba foram os blocos: eles tinham a função de representar de forma positiva, em diferentes áreas da cidade, o grupo social que os compunham.

 Uma maior ampliação do espaço social desses moradores dos morros e subúrbios cariocas era pretendida, então, por detrás da formação das escolas.

A primeira disputa entre escolas de samba aconteceu em 7 de fevereiro de 1932, na Praça Onze, no Rio de Janeiro e foi organizada pelo jornalista Mário Filho.

Preocupado com a falta de assunto para o seu jornal, O Mundo Sportivo, entre os meses de dezembro e março, criou o primeiro concurso de escolas de samba.

A promoção teve grande repercussão na imprensa e no carnaval seguinte, em 1933, o jornal O Globo assumiu o desfile.

Dois anos depois a Prefeitura do Rio passou a subvencionar o evento, oficializando-o como parte do carnaval carioca.

Em 1942, surge a Avenida Presidente Vargas, com a demolição da Praça Onze.

Surge assim o novo local de desfiles, que perduraria por muitos anos.

As escolas começam a ganhar espaço dos ranchos e das grandes sociedades na disputa pela hegemonia do carnaval.

Em 1946, surge o samba-enredo, com o governo municipal proibindo que as escolas cantem versos improvisados, levando para o local da apresentação uma música pronta.

O desfile das escolas de samba não parava de crescer e na metade da década de 50 a classe média passa a freqüentar os ensaios das escolas.

Em 1957, o desfile foi realizado na avenida Rio Branco.  A alta sociedade se rende à popularização crescente e passa a assistir o desfile.

 

As Escolas de Samba campeãs de todos os Carnavais

1932  Estação Primeira de Mangueira

1933  Estação Primeira de Mangueira

1934  Mangueira/Recreio de Ramos

1935  Portela

1936  Unidos da Tijuca

1937  Vizinha Faladeira

1938 Não houve concurso

1939  Portela

1940  Estação Primeira de Mangueira

1941  Portela

1942  Portela

1943  Portela

1944  Portela

1945  Portela

1946  Portela

1947  Portela

1948  Império Serrano

1949  Império Serrano/Mangueira

1950  Império Serrano/Mangueira

1951  Império Serrano/Portela

1952 Houve desfile mas a apuração não foi realizada

 

1953  Portela

1954  Estação Primeira de Mangueira

1955  Império Serrano

1956  Império Serrano

1957  Portela

1958  Portela

1959  Portela

1960  Portela, Salgueiro, Mangueira, Império Serrano e Unidos da Capela

1961  Estação Primeira de Mangueira

1962  Portela

1963  Acadêmicos do Salgueiro

1964  Portela

1965  Acadêmicos do Salgueiro

1966  Portela

1967  Estação Primeira de Mangueira

1968  Estação Primeira de Mangueira

1969  Acadêmicos do Salgueiro

1970  Portela

1971  Acadêmicos do Salgueiro

1972  Império Serrano

1973  Estação Primeira de Mangueira

1974  Acadêmicos do Salgueiro

1975  Acadêmicos do Salgueiro

1976  Beija-Flor de Ninópolis

1977  Beija-Flor de Ninópolis

1978  Beija-Flor de Ninópolis

1979  Mocidade Independente

1980  Portela, Imperatriz e Beija-flor

1981  Imperatriz Leopoldinense

1982  Império Serrano

 

1983  Beija-Flor de Ninópolis

1984  Portela/Mangueira

1985  Mocidade Independente

1986  Estação Primeira de Mangueira

1987  Estação Primeira de Mangueira

1988  Unidos de Vila Isabel

1989  Imperatriz Leopoldinense

1990  Mocidade Independente

1991  Mocidade Independente

1992  Estácio de Sá

1993  Acadêmicos do Salgueiro

1994  Imperatriz Leopoldinense

1995  Imperatriz Leopoldinense

1996  Mocidade Independente

1997  Unidos do Viradouro

1998  Mangueira e Beija-flor

1999  Imperatriz Leopoldinense

2000  Imperatriz Leopoldinense

2001  Imperatriz Leopoldinense

2002  Estação Primeira de Mangueira

2003  Beija-Flor de Ninópolis

2004  Beija-Flor de Ninópolis

2005  Beija-Flor de Nilópolis

2006  Unidos de Vila Isabel

2007  Beija-Flor de Nilópolis

2008  Beija-Flor de Nilópolis

2009  Acadêmicos do Salgueiro

2010  Unidos da Tijuca

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *