Bambas reunidos

O presidente da Fundação Cultural de Curitiba (FCC), Marcos Cordiolli, convidou e recebeu nesta quinta-feira (dia 12) a visita de sambistas ligados a historia da cultura popular da cidade e os desfiles de escolas de samba nos carnavais curitibano que imortalizaram sambas e sambistas. Na reunião compareceram, os carnavalescos Glauco Souza Lobo, Marcio Marins Carlos Fernando Mazza e o jornalista e compositor Cláudio Ribeiro e que foi secretariada por Mirele Camargo que traz no sangue a tradição de sua família envolvida com as festas populares.

Carnavalesco carioca Márcio Marins é responsável por levar o desfile da Realeza e que faz parte da nova geração dos carnavalescos curitibano, disse que “em boa hora Marcos Cordiolli presidente da Fundação Cultural e o prefeito de Curitiba Gustavo Fruet, depois de ouvir os apelos do Cláudio Ribeiro e de Glauco Souza Lobo, o Marechal da Marechal, sobre o carnaval, transferiram os desfiles carnavalescos da Avenida Candido de Abreu para a Avenida Marechal Deodoro. Sucesso total”.

Carnavalesco e ex-dirigente da Fundação Cultural Glauco Souza Lobo afirmou que “Durante o curso da História, o festejo carnavalesco ora foi visto como prática a ser reprimida, ora como prática a ser legitimada e a volta a Marechal é uma vitória do mundo do samba de Curitiba e o carnaval que tem a cara dos presentes nessa reunião e principalmente de gente como Mestre Maé, Chocolate, Charrão, Julio Diabo, Cadille, Afunfa, Lamarão, Lima, Bola e tantos outros”.

O Carlos Fernando Mazza, conhecido por Mazzinha, relembrando velhos carnavais disse que “no campo das tradições nosso Carnaval faz parte também e, defender as escolas de samba é manter viva a tradição”.

Compositor de sucesso de muitos carnavais Cláudio Ribeiro disse que a “ocupação da rua deve ser encarada como espaço público e democrático pelos populares, em suas práticas de lazer e cultura, que nem sempre ocorreu de forma tranquila ou foi bem aceita pelas elites e pelas autoridades. O surgimento do carnaval de rua e em especial das escolas de samba de Curitiba vem do tempo em que os bailes de clubes não eram para todas as camadas da população, estando restritos a um grupo mais elitizado, então alguns foliões e sambistas criaram outras alternativas nas décadas de 30 e 40. Somos herdeiros desta história, afirmou o jornalista”.

Foi dito também pelos presentes que buscar as origens da festa carnavalesca curitibana seria mergulhar numa longa história de fundamental importância para a cidade e seu povo, e que a festa momesca a exemplo do resto do Brasil, só veio a se tornar no carnaval mesmo, próximo do que conhecemos nos dias de hoje, quando junto com as classes populares e trabalhadoras o negro passou a participar efetivamente com ritmos e contribuições da sua cultura.

Marcos Cordiolli apresentou as ações e os eventos promovido pela FCC na área da cultura popular e iniciou diálogo para viabilizar politicas publicas de cultura na área da cultura popular em Curitiba do Carnaval e o mundo do Samba, buscando concretizar projetos apontados pelos sambistas e carnavalescos na visita a sede da FCC. “Vamos estudar meios de apoiar as ideias aqui formuladas. São projetos importantes que podem ser aplicados em Curitiba”, disse Cordiolli.

Os desfiles

Sábado as 20h30 começam os desfiles das escolas do grupo B, com a Unidos de Pinhais – com o samba-enredo “A Pinhais se Embala nas Asas da Borboleta!” – e Os Internautas, às 21h40, cantando o “Memorial da Saga Afro Brasileira”.

Os desfiles do grupo A acontecem a partir das 22h30, com a Imperatriz da Liberdade cantando “A Imperatriz É Boa Praça”. Depois vêm os Leões da Mocidade (23h35) com o tema “Ciganos: Origens, Histórias, Lendas e Tradição”. Os Embaixadores da Alegria (0h40) chegam em seguida com o samba “Alafin de Oyó – Uma Viagem À Terra do Rei Xangô”.

A vice-campeã de 2014, a  Acadêmicos da Realeza, ocupa a Marechal à 1h45, cantando “A História de Curitiba Pelas Mãos de Fernando Guimarães”. Por fim vem a grande campeã do ano passado, a Mocidade Azul (2h50). O tema é “Sinal azul!!! Parem o Tempo, Que Eu Quero Enlouquecer”. A ordem dos desfiles respeita os resultados do Carnaval 2014.

 

 

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *