Enredo 2010 – Tom Maior

a Tom MaiorDesfile da Tom Maior comemora o 50º aniversário de Brasília

Escola deve falar da cidade como atração turística.
Bateria trará surpresas, promete o carnavalesco.

Palácios da cidade vêm representados em carro alegórico

A Tom Maior leva para a avenida uma homenagem aos 50 anos da fundação de Brasília no segundo dia de desfiles em São Paulo. O carnavalesco Roberto Szaniecki garante que não vai levar questões políticas para a festa. “Vamos entrar na avenida de uma forma diferente do que está todo mundo esperando. Vamos falar de Brasília como uma cidade que recebe os turistas. Não quero falar de política. O único político a ser lembrado é Juscelino Kubitschek.”

 

O primeiro carro alegórico a desfilar apresenta a idealização da cidade. “Abrimos com o Cerrado e o sonho da construção de Brasília. Mostramos os candangos, que trabalharam como operários”, afirma o carnavalesco.

 

Carnavalesco garante que único político lembrado será Juscelino Kubitschek

A estimativa é que mais de 2,3 mil pessoas desfilem pela escola. A bateria conta com 270 ritmistas e o carnavalesco da Tom Maior promete surpresas. “Eles representam os trabalhadores da cidade. A madrinha de bateria, que é a Adriana Bombom, vem como capataz deles. Estamos preparando algo bem diferente do tradicional”, revela.
A escola ainda vem com outros 5 carros e 23 alas. No segundo setor, a Tom Maior já mostra a cidade pronta, simbolizada pelos palácios. Em seguida, Szaniecki apresenta a importância do turista em Brasília. “Mostramos o turismo ecológico, os principais pontos turísticos e a culinária regional”, diz.
Continuando o desfile, a Tom Maior conta sobre a parte cultural e esportiva Brasília. “No terceiro setor é a vez do rock fundo de garagem, do cinema e dos atletas que vieram de lá e ganharam competições para o país”, afirma o carnavalesco, que promete levar um show de rock para a Avenida.

 

Tom Maior leva comidas típicas da região do Cerrado para a Avenida
O carro que fecha a participação da Tom Maior revela a mobilização do turismo de fé na cidade. “Brasília tem uma das maiores catedrais do mundo. Gente do mundo inteiro vai para a cidade como peregrino”, diz Szaniecki.

O primeiro casal de mestre-sala a desfilar também simboliza os operários da cidade. Já a porta-bandeira vem representando a catedral.
O carnavalesco da Tom Maior revelou que também vai brincar com o aeroporto de discos voadores que existe na cidade. Uma ala de mestres-salas e portas-bandeiras mirins virá vestida de alienígena. “São 50 crianças nesse bloco.”

A escolha do tema partiu do presidente da Tom Maior, Marco Antônio. Ele disse que o patrono da escola influenciou a seleção. “O político e cantor Frank Aguiar desfila conosco há muito tempo. Foi uma forma que encontramos de homenageá-lo também”, afirma Marco Antônio.
O carnavalesco Szaniecki lembra que a capital federal também é uma das cidades mais novas tida como patrimônio da humanidade. “É a primeira cidade com 50 anos que é patrimônio da humanidade. Isso é um orgulho para nosso país.”
Outros nomes importantes na construção da cidade também serão lembrados. “Oscar Niemayer, Lucio Costa e Burlemax recebem homenagens. Até o padre Dom Bosco será representado”, afirma Szaniecki.

    Author: Redação

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *