Sérgio Santos encerra a temporada 2017 do Minas Pocket Música

FCS - Minas Pocket Music - Srgio Santos - Foto

O cantor e compositor se apresenta na Sala Juvenal Dias nesta quarta (13); ingressos custam R$ 20,00 (inteira) e R$10,00 (meia-entrada)

Em apresentação no formato voz e violão, o cantor Sérgio Santos encerra a temporada 2017 do programa Minas Pocket Música, da Fundação Clóvis Salgado. O repertório passa pela extensa carreira do músico, com oito discos lançados e diversas composições para artistas como Alcione e Milton Nascimento. Um dos destaques da apresentação é a comemoração do aniversário do disco Áfrico, considerado um marco na carreira do artista, lançado em 2002 e que comemora 15 anos em 2017.

Origens e influências – O trabalho de Sérgio Santos é marcado por um conjunto diverso de influências: seu pai, alagoano, foi responsável por introduzi-lo à música nordestina, sua mãe, carioca, apresentou a ele o samba. Pela discografia de Santos é possível se deparar com valsas, choros, frevos e baiões. Sem educação formal em música, o cantor, que é autodidata, aprendeu a tocar por observação. Outra influência marcante é a música negra, que passa por toda a carreira do cantor, seja como homenagem ou temática presente em muitos de seus registros.

A carreira do mineiro de Varginha é extensa: composta por oito discos de estúdio, além de composições e participação em trabalho de outros artistas, Sérgio Santos foi indicado ao Grammy Latino em 2010, por sua canção “Litoral e Interior”. O repertório do show, pensado na proposta voz e violão, foi construído a partir de canções que combinassem com a atmosfera mais intimista, sem deixar de ser representativo da discografia do artista. “Acho bacana a ideia de fazer um apanhado da minha história, da minha carreira. Tem músicas do Áfrico, um disco muito importante e que comemora 15 anos em 2017 e estou fazendo vários shows em homenagem. Haverão canções do Litoral e Interior”, comenta o cantor, que será acompanhado pelo violonista Sílvio Damico.

Relação com a FCS – A relação de Sérgio Santos com a Fundação Clóvis Salgado é estreita e marcada por muito carinho e respeito. A última apresentação que o músico realizou no Palácio das Artes foi em 2016, no Grande Teatro, um show em homenagem a Cartola e a Vander Lee. “Para mim, a Fundação Clóvis Salgado é um dos pilares da cultura de Minas Gerais e é muito importante, por todos os corpos que abriga, além de lidar com a formação musical. Sempre é prazeroso estar em contato com a Fundação, contribuindo com as programações e atividades”, pondera Sérgio.

Para o músico, o Programa Minas Pocket é fundamental para a divulgação da cultura produzida em Minas. “Um projeto como o Minas Pocket é sempre importante, para dar destaque à produção feita em Minas. Hoje em dia qualquer espaço de divulgação cultural é muito importante, porque a cultura é um motor de discussão de ideias. Ter instituições que se preocupam com a exposição e a promoção da cultura são muito importantes para nossas carreiras como artistas”, finaliza o músico.

A apresentação de Sérgio Santos marca o fim da temporada 2017 do Minas Pocket. O programa é mais uma iniciativa da FCS para ampliar a formação de público e garantir acesso aos equipamentos culturais da Instituição. Para Philipe Ratton, da diretoria de programação artística da Fundação Clóvis Salgado, “Nossa proposta foi fazer com que várias linguagens artísticas marcassem presença no complexo cultural do Palácio das Artes. O objetivo era promover um diálogo entre os gêneros e permitir que o público tenha acesso a essas linguagens e estilos diversos e conseguimos bastante êxito nesse sentido.

Sérgio Santos – Compositor, cantor, violonista e arranjador, Sergio Santos é mineiro de Varginha. Começou sua carreira na década de 1980. A partir de 1991, inicia parceria com o compositor Paulo César Pinheiro. Com oito discos gravados, tendo Áfrico eleito o melhor CD de 2002 (Prémio Rival BR) e Litoral e Interior indicado ao Grammy Latino em 2010. Apresentou-se em espaços como o Blue Note Tokyo e no Hollywood Bowl, em Los Angeles, dois dos palcos mais importantes do mundo. Já dividiu palco com Dori Caymmi, Edu Lobo, Joyce, Francis Hime, Leila Pinheiro e Lenine, entre outros.

Sobre o programa Minas Pocket – O Minas Pocket é uma iniciativa da FCS para integrar diferentes segmentos culturais. As apresentações musicais contaram com a presença de artistas como Alda Rezende, Affonsinho, Celso Adolfo, Juarez Moreira, Lyrical Jazz e Nivaldo Ornelas, entre outros. Por meio desse programa, além da Música, acontecem eventos distintos sobre Literatura, Design, Arquitetura, Dança, Performance e Teatro. Desse modo, a instituição potencializa a produção e a fruição cultural na cidade.

MINAS POCKET MÚSICA – SÉRGIO SANTOS

Data: 13 de dezembro (quarta-feira)

Horário: 20h

Local: Sala Juvenal Dias – Palácio das Artes

Endereço: Av. Afonso Pena, 1537 – Centro

Ingressos: R$20,00 (inteira) e R$10,00 (meia-entrada)

Informações para a imprensa:

Júnia Alvarenga | (31) 3236-7419 | (31) 98408-7084 | junia.alvarenga@fcs.mg.gov.br

Vítor Cruz | (31) 3236-7378 | (31) 99317-8845 | vitor.cruz@fcs.mg.gov.br

    Author: Brasil Cultura

    Share This Post On

    Enviar um comentário

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *