Após exibir filme sobre cultura negra em sala, professora é ‘denunciada’ por pai de aluno

Uma professora de Macaé, Sabrina Luz, foi denunciada na ouvidoria da prefeitura por passar um filme, para os seus alunos, que aborda temas sobre a cultura negra. A profissional do Colégio municipal Professora Elza Ibrahim, no bairro Ajuda de Baixo, colocou a obra para os alunos do 6º ano, que tem em média 12 anos, durante a aula de Geografia. De acordo com informações do Extra, a denúncia foi feita no final de maio por um pai de aluno que não se identificou. Sabrina Luz contou que ficou sabendo do processo através da sua diretora e que essa tinha sido a primeira vez que denunciaram anonimamente sua aula. O filme exibido pela professora foi “Besouro”, que fala sobre a vida de Besouro Mangangá, um capoeirista brasileiro da década de 1920. Segundo Sabrina, a obra é baseada em fatos reais sobre um levante no recôncavo baiano liderado pelo capoeirista. A prefeitura não revelou o teor da reclamação do pai do aluno, mas a professora acredita que o problema esteja relacionado ao assunto do longa que aborda as religiões afro brasileiras. Através de um vídeo nas redes sociais, a profissional revelou a denúncia e já conseguiu atingir 47 mil visualizações. A partir da publicação, mobilizações foram realizadas por educadores em prol da defesa do cumprimento da lei que torna o ensino da história e da cultura afro e indígena no Brasil obrigatória. Ainda de acordo com o site, a Prefeitura de Macaé afirmou que não irá abrir um processo contra a professora. Em nota, informou que a secretaria de Educação “cumpre a Lei.10639/2003 que trata da Cultura Afro Brasileira e a 11645/2008 que trata da história e cultura dos povos indígenas, bem como mantém a Coordenação de Diversidade, garantindo a inclusão no currículo oficial da rede e execução de programa de Cultura Afro Brasileira e Indígena”. Além disso, ela alega que “é dever da secretaria também responder aos questionamentos que lhe sejam encaminhados pelos cidadãos, através da Ouvidoria, quanto a práticas pedagógicas, adequação de conteúdos, entre outros”.

 

ATAQUE RACISTA CONTRA A PROF. SABRINA LUZ | A educadora socialista, ativa nos movimentos contra o machismo, lgbtfobia e racismo, Sabrina Luz, foi informada nesta quarta(23) que estará respondendo a processo administrativo na prefeitura de Macaé, devido a uma denúncia de ter passado em sala de aula o filme Besouro, sobre a capoeira e as religiões de origem africana.O acolhimento desta denuncia de teor racista e de intolerância religiosa pela prefeitura, por si só já é um grande absurdo.O ensino da cultura afro indígena é lei, nenhum educador deve ser constrangido ou assediado por mostrar e debater a história de nosso povo.Basta de racismo.Basta de intolerância religiosa.Basta de assédio moral contra os que lutam.Pela imediata retirada do processo administrativo contra Sabrina Luz.LEI Nº 11.645, DE 10 DE MARÇO DE 2008Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena".

Publicado por Sabrina Luz em Quarta-feira, 23 de maio de 2018

ATAQUE RACISTA CONTRA A PROF. SABRINA LUZ | A educadora socialista, ativa nos movimentos contra o machismo, lgbtfobia e racismo, Sabrina Luz, foi informada nesta quarta(23) que estará respondendo a processo administrativo na prefeitura de Macaé, devido a uma denúncia de ter passado em sala de aula o filme Besouro, sobre a capoeira e as religiões de origem africana.

O acolhimento desta denuncia de teor racista e de intolerância religiosa pela prefeitura, por si só já é um grande absurdo.

O ensino da cultura afro indígena é lei, nenhum educador deve ser constrangido ou assediado por mostrar e debater a história de nosso povo.

Basta de racismo.

Basta de intolerância religiosa.

Basta de assédio moral contra os que lutam.

Pela imediata retirada do processo administrativo contra Sabrina Luz.

LEI Nº 11.645, DE 10 DE MARÇO DE 2008

 

Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”.

Author: Redação

Share This Post On

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *