ENCONTRO DE FANDANGO E CULTURA CAIÇARA

 

 

 

 

Um evento com várias atividades culturais  nos dias 14, 15 e 16 de Julho, na cidade de Guaraqueçaba (Paraná) que tem por objetivo a estimular , incentivar ,fomentar, incentivar e difundir  elementos da  tradicional cultura popular brasileira. Esta é a definição do ENCONTRO DE FANDANGO E CULTURA CAIÇARA com palestras, debates, apresentações e bailes com fandangueiros e grupos de fandango de Morretes, Paranaguá, Guaraqueçaba, Iguape e Cananéia, municípios do litoral norte do Paraná e sul de São Paulo.

O encontro marca também o lançamento oficial do Museu Vivo do Fandango- projeto que visa evidenciar e fortalecer uma rede de instituições, grupos e pessoas ligadas ao fandango, através da criação de um circuito de visitação com diversos atrativos culturais  O museu não tem uma sede única, mas está distribuído pelas cidades, envolvendo casas de fandangueiros e construtores de instrumentos, clubes e casas de fandango, museus, centros culturais e pontos de consulta. Os endereços estão reunidos em folhetos informativos disponíveis nos cinco municípios e podem ser consultados no site  www.museuvivodofandango.org.br.

 

LANÇAMENTO DE CD DUPLO E LIVRO

 

Dentro das atividades está o  lançamento de um CD Duplo intitulado ‘MUSEU VIVO DO FANDANGO” que registra uma das  variações do Fandango em nosso país – a que se encontra no litoral norte do Paraná e sul de São  Paulo. O CD integra é fruto da  pesquisa da equipe do projeto e resgata e registra esta vertente de uma música ancestral. O encarte do CD, repleto de fotos, é dividido em tópicos didáticos/explicativos  como “Origens e Variantes”; “Fandango Caiçara” e “Música, Dança e Instrumentos”.

Tambéms era lançado um livro  um livro com fotos de fandangueiros, grupos de fandango, instrumentos, artesãos. Boa parte do registro das imagens foi realizado pelo fotógrafo Felipe Varanda que juntamente com Joana Corrêa, Alexandre Pimentel, Rogério galin, Oswaldo Rios, Edmundo Pereira e Dauro Marcos do Prado, integra a equipe de pesquisadores do Museu Vivo do Fandango.

 

O EVENTO

 

Realizado, com o patrocínio da Petrobras, por meio do projeto Museu Vivo do Fandango, e da Prefeitura Municipal de Guaraqueçaba, o encontro é fruto da parceria entre uma rede de co-realizadores formada por associações sem fins lucrativos que atuam na região em projetos de incentivo e reconhecimento do fandango e da cultura caiçara.

 

Dentro das propostas do Encontro estão: divulgar o fandango e a cultura caiçara; evidenciar a diversidade e a vitalidade do fandango, como uma manifestação cultural viva entre comunidades caiçaras de toda a região; estimular a troca entre os diversos grupos e fandangueiros, como forma de afirmar a

continuidade desta tradição

 

 

A programação do encontro envolve debates, palestras, apresentações e bailes:

 

14 de julho (sexta-feira)

17 horas – Abertura

18 horas – Mesa redonda: “O fandango de ontem e hoje”

21 horas – Apresentações de fandangueiros e grupos de fandango

22 horas – Baile de fandango

 

15 de julho (sábado)

13 horas – Palestra “Construção de instrumentos” e debate “Associações e mutirões”

15 horas – Apresentações de fandangueiros e grupos de fandango

17 horas – Palestra “Manejo de caixeta” e debate “O jovem no fandango”

19 horas – Mostra de vídeos sobre fandango e cultura caiçara

21 horas – Apresentações de fandangueiros e grupos de fandango

22 horas – Baile de fandango

 

16 de julho (domingo)

10 horas – Terço cantado e encontro de romarias do Divino Espírito Santo

13 horas – Domingueira de encerramento (apresentações de fandangueiros e grupos de fandango)

 

Grupos que se apresentam no Encontro

 

MORRETES: Martinho dos Santos, Leonardo Gonçalves, Grupo de Fandango Professora Helmosa, Manoel dos Santos Cabral.

PARANAGUÁ: João Buso, Grupo Folclórico Mestre Romão, Mestre Eugênio e Grupo, Pés de Ouro, Mandicuéra, Caiçaras do Paraná.

GUARAQUEÇABA: Dorçulina Eiglmeier, Família Pereira, Mamulengo Fâmulos de Bonifrates, Fandangueiros de Barra do Superagüi, Fandangueiros de Barra do Ararapira, Fandangueiros de Vila Fátima.

CANANÉIA: Irmãos Pereira, Família Neves, Jovens Fandangueiros de Itacuruçá, Agostinho Gomes, Armando Teixeira, João da Toca.

IGUAPE: Sandália de Prata, Apparício e Alcides Muniz, Walter Alves e Florêncio Franco, Jovens da Juréia e Fandangueiros da Juréia.

 

     FANDANGO

 

É  uma manifestação popular que reúne dança e música. Nos litorais Sul e Sudeste do país está associada ao trabalho na lavoura, na pesca e à cultura caiçara. Sua prática envolve instrumentos artesanais como viola, rabeca e adufo, em músicas que podem ser valsadas ou acompanhados pelo batido dos tamancos. No fandango batido, os homens seguem os passos feitos por um marcador ou mestre de sala

Os instrumentos utilizados no fandango apresentam muitas variações, desde o modo de fazer ao modo de tocar. As rabecas, por exemplo, podem ser encontradas com três ou quatro cordas. As violas de fandango apresentam variação de tamanho e são tocadas nas afinações intaivada, pelo meio ou pelas três.

Tradicionalmente, eram comuns os fandangos oferecidos como pagamento aos mutirões, pixiruns ou puxirões de plantio, colheita, puxada de barco e outras atividades que exigem esforço coletivo. O beneficiado pelo trabalho realizado ao longo do dia oferecia aos participantes farta comida e um fandango que atravessava a noite. Os fandangos aconteciam também em festas religiosas, no carnaval ou pelo simples divertimento.

Com a redução da prática dos mutirões, os fandangueiros encontraram novas formas de organização para a continuidade da prática dos fandangos. Na região, formaram-se muitos grupos de fandango, que se apresentam com freqüência em bailes, festivais e festas comunitárias.

A prática do fandango está também associada a outras manifestações culturais, algumas de caráter religioso como o terço cantado, as reiadas ou folias de reis e as bandeiras, que saem em romaria pelos municípios.

 

 

ALGUMAS INICIATIVAS PARA A PRESERVAÇÃO DO FANDANGO E DA  CULTURA CAIÇARA

 

 

Os parceiros co-realizadores do encontro desenvolvem os seguintes projetos na região:

 

Casa de Fandango de Guaraqueçaba (Guaraqueçaba, PR) / Associação dos Fandangueiros do Município de Guaraqueçaba: A Casa de Fandango de Guaraqueçaba será um espaço gerenciado pela Associação dos Fandangueiros do Município de Guaraqueçaba, para ensaios, apresentações e bailes de grupos de fandango e teatro, além de oficinas de instrumento e dança de fandango. O projeto foi selecionado em 2005 pelo Programa Cultura Viva do Ministério da Cultura. A Associação dos Fandangueiros do Município de Guaraqueçaba foi fundada em 2000 por fandangueiros e jovens do município, com os integrantes do grupo de fandango Família Pereira e do grupo de jovens Mamulengo Fâmulos de Bonifrates.

 

Centro de Cultura Caiçara de Barra do Ribeira (Iguape, SP) / Associação Jovens da Juréia: O Centro de Cultura Caiçara de Barra do Ribeira tem como principal objetivo contribuir para o estímulo à continuidade das tradições culturais caiçaras presentes no litoral sul de São Paulo. Entre as atividades do Centro, são oferecidas oficinas de viola, rabeca, dança de fandango, construção de instrumentos e confecção de artesanato caiçara, além de apresentações de grupos de fandango e outras manifestações culturais da região. O projeto foi selecionado em 2004, pelo Programa Cultura Viva do Ministério da Cultura. A gestão é feita pela Associação Jovens a Juréia (AJJ), organização fundada por jovens do distrito de Barra do Ribeira, que vem apresentado uma contribuição fundamental no sentido da valorização da cultura caiçara de forma sustentável, em ações que envolvem a luta pela transformação da Estação Ecológica da Juréia-Itatins em Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) e a fundação da Escola Caiçara da Juréia.

 

Resgatando o Fandango (Cananéia, SP) / Associação Rede Cananéia: A Associação Rede Cananéia, dentre suas metas, desenvolve um programa de apoio a festas tradicionais do município, manifestações culturais e o fortalecimento de grupos que vivem da arte e do artesanato, com o objetivo de valorizar e difundir a cultura popular e promover o intercâmbio de conhecimento popular na região. Dentro deste programa destaca-se o projeto Resgatando o Fandango que envolve o apoio na articulação dos grupos de fandango de Cananéia, realização de oficinas de instrumento e dança de fandango e organização de apresentações, bailes e domingueiras de fandango. Além disso, a Rede Cananéia vem também prestando apoio para a fundação da Associação de Fandangueiros de Cananéia. A Associação Rede Cananéia foi fundada em 2004 e integra lideranças de Cananéia, apoiando e incentivando as iniciativas das entidades locais em que os associados atuam.

 

Rabecando (Paranaguá, PR) / Associação de Cultura Popular Mandicuéra: Ciente da importância da permanência da cultura caiçara e de manifestações como o fandango e a folia do divino espírito santo no litoral paranaense, a Associação de Cultura Popular Mandicuéra criou o projeto Rabecando – A Preservação Através do Repasse. O projeto, aprovado no Edital de Culturas Populares/2005, promovido pelo Ministério da Cultura, visa a realização de oficinas que multipliquem esses saberes populares, da construção de instrumentos e da musicalidade caiçara. Serão ao todo quatro oficinas que irão ensinar aos jovens da Ilha do Valadares e Paranaguá as técnicas de construção da Rabeca, Viola, Adufo e Caixa, e de Música. A Associação de Cultura Popular Mandicuéra, fundada em 2004, além de oficinas educativas, organiza bailes e festas e desenvolve outros projetos de estímulo à continuidade da cultura local, como a rearticulação da Romaria do Divino. A Associação também está ligada ao grupo Mandicuéra e ao Mandicuéra Curumim.

 

Museu Vivo do Fandango (Morretes, Paranaguá, Guaraqueçaba, Iguape e Cananéia, PR e SP) /Associação Cultural Caburé e parceiros: O Museu Vivo do Fandango é um projeto que visa evidenciar e fortalecer uma rede de instituições, grupos e pessoas ligadas ao fandango, através da criação de um circuito de visitação com diversos atrativos culturais em três municípios do litoral sul do Paraná – Paranaguá, Guaraqueçaba e Morretes – e dois do litoral norte de São Paulo – Iguape e Cananéia. O museu não tem uma sede única, mas está distribuído pelas cidades, envolvendo casas de fandangueiros e construtores de instrumentos, clubes e casas de fandango, museus, centros culturais e pontos de consulta. Os endereços estão reunidos em folhetos informativos disponíveis nos cinco municípios e podem ser consultados no site www.museuvivodofandango.com.br. Nos pontos de consulta, o museu disponibiliza livros, CDs e vídeos sobre fandango, doados por seus autores. O projeto envolve também um CD duplo, com uma amostra da diversidade do fandango, e um livro, com biografias e fotos de fandangueiros e informações sobre a região, que serão lançados durante o encontro de fandango.

——————————————————————————————————

Serviço :ENCONTRO DE FANDANGO E CULTURA CAIÇARA

 

Dentro da programação do evento acontece o lançamento de um livro e um CD Duplo

Dias 14, 15 e 16 de Julho, na cidade de Guaraqueçaba (Paraná)

 

A programação do encontro envolve debates, palestras, apresentações e bailes:

14 de julho (sexta-feira)

17 horas – Abertura

18 horas – Mesa redonda: “O fandango de ontem e hoje”

21 horas – Apresentações de fandangueiros e grupos de fandango

22 horas – Baile de fandango

 

15 de julho (sábado)

13 horas – Palestra “Construção de instrumentos” e debate “Associações e mutirões”

15 horas – Apresentações de fandangueiros e grupos de fandango

17 horas – Palestra “Manejo de caixeta” e debate “O jovem no fandango”

19 horas – Mostra de vídeos sobre fandango e cultura caiçara

21 horas – Apresentações de fandangueiros e grupos de fandango

22 horas – Baile de fandango

 

16 de julho (domingo)

10 horas – Terço cantado e encontro de romarias do Divino Espírito Santo

13 horas – Domingueira de encerramento (apresentações de fandangueiros e grupos de fandango)

 

 

Patrocínio: Petrobras e Prefeitura Municipal de Guaraqueçaba

Lei Federal de Incentivo à Cultura (Ministério da Cultura)

 

Co-realização: Associação Cultural Caburé, Associação de Cultural Popular Mandicuéra, Associação dos Jovens da Juréia, Associação Rede Cananéia e Prefeitura Municipal de Guaraqueçaba.

 

Apoio: Prefeitura Municipal de Iguape, Prefeitura Municipal da Estância de Cananéia, Prefeitura Municipal de Paranaguá, Prefeitura Municipal de Morretes, Governo do Estado de São Paulo / Abaçaí Cultura e Arte, Governo do Paraná / Secretaria de Estado da Cultura, Parque Estadual da Ilha do Cardoso, IBAMA, Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, PUC Pró-Ação.

 

Mais informações:

contato@museuvivodofandango.com.br

 

Assessoria de Imprensa:

São Paulo – Silvio Taretto

Tel: (11) 5572-0441 / 8377-9222

quality9000@uol.com.br

 

Paraná – Rodrigo Browne

Tel: (41) 3363-7759 / 9145-7027

imprensar@gmail.com

« »

acompanhe

boletim

receba notícias do site por e-mail

busca de cifras

almanaque

Brasil Cultura - O portal da cultura brasileira (2004 - 2014)

Carregando, por favor aguarde...

Compartilhar o artigo Lorem ipsum:

Compartilhar por e-mail

Adicionar aos favoritos